A+ / A-

Papa a caminho de Moçambique não esquece tragédia nas Bahamas

04 set, 2019 - 15:39 • Redação, com agências

Saudação aos jornalistas que o acompanham no vôo papal incluiu pedido de oração pelas vítimas furacão Dorian.
A+ / A-

O Papa Francisco recordou esta quarta-feira as vítimas provocadas pelo furacão Dorian à passagem pelas Bahamas, pedindo orações por todas as pessoas afetadas.

“Pobre gente, que de um dia para o outro perde a sua casa, perde tudo, mesmo a vida”, lamentou, em conversa com os jornalistas que o acompanham na sua viagem de sete dias à África austral, com passagens por Moçambique, Madagáscar e Maurícia.

Francisco convidou todos os presentes no avião para uma oração pessoal, “cada um no seu coração”, por todas as pessoas afetadas pelo Dorian.

O arcebispo de Nassau, Patrick Christopher Pinder, fala em 70 mil pessoas atingidas, com “elevados danos materiais”, pedindo ajuda à comunidade internacional.

O portal “Vatican News” recorda ainda os danos provocados, em Moçambique, pelos ciclones “Idai” e “Kenneth”.

“Esperemos que esta viagem, um pouco comprida, dê frutos”, desejou Francisco.

Até 10 de setembro, o Papa passa pelas cidades de Maputo, Antananarivo e Port Louis.

Esta será a quarta viagem do atual pontífice a África, após as visitas ao Quénia, Uganda e República Centro-Africana, em 2015; ao Egito, em 2017; e a Marrocos, que decorreu entre 30 e 31 de março deste ano.

O único Papa a visitar Moçambique, até hoje, foi São João Paulo II, de 16 a 19 de setembro de 1988, no contexto de uma viagem alargada a África.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.