Tempo
|
A+ / A-

Brexit

Boris Johnson desafia Corbyn para eleições antecipadas a 15 de outubro

04 set, 2019 - 12:32 • Redação com Reuters

Johnson volta assim a ameaçar convocar eleições antecipadas, caso o projeto de lei que impede o Brexit sem acordo venha a passar.

A+ / A-

O primeiro-ministro britânico desafiou, esta quarta-feira, o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, a concordar com a convocação de eleições legislativas antecipadas para o dia 15 de outubro.

“Este governo retirará este país da União Europeia a 31 de outubro, e há apenas uma coisa que está no nosso caminho: o ‘projeto de lei da rendição’ proposto pelo líder da oposição (Corbyn)", disse Johnson, perante o Parlamento.

"Posso convidar o líder da oposição para confirmar, quando se levantar em breve, que, caso a ‘lei da rendição’ seja aprovada, ele permitirá que as pessoas deste país deem a sua opinião sobre o que ele propõe entregar em seu nome, com uma eleição em 15 de outubro”.

Johnson volta assim a ameaçar convocar eleições antecipadas, caso o projeto de lei que impede o Brexit sem acordo venha a passar.

Os deputados britânicos aprovaram esta terça-feira à noite, com 328 votos a favor e 301 contra, a moção que retira ao Governo o controlo sobre a agenda parlamentar. O parlamento debate, assim, esta quarta-feira, o projeto de lei apresentado pelo Partido Trabalhista.

Caso a proposta legislativa venha a ser aprovada, esta obrigará o Governo a pedir um adiamento do Brexit, se o parlamento não aprovar um acordo de saída ou não autorizar uma saída sem acordo até 19 de outubro. A data a ser apontada é de 31 de janeiro, ou seja, mais três meses face ao prazo atual de 31 de outubro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.