A+ / A-
José Pereira

Três técnicos demitidos em quatro dias. "Presidentes não têm estofo para aguentar"

04 set, 2019 - 18:18 • José Pedro Pinto

À primeira paragem do campeonato, três clubes decidiram inverter o rumo tomado no início da época. Silas é o último a ser "chicoteado", depois de Marcel Keizer e Filó.
A+ / A-

Filipe Rocha (Paços de Ferreira). Marcel Keizer (Sporting). Jorge Silas (Belenenses SAD). Três treinadores demitidos em quatro dias, em plena paragem da Primeira Liga para os compromissos de seleções e um cenário que leva a Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) a sair em defesa da classe, contra a falta de "competência" e "estofo" dos dirigentes para lidar com as inaugurais adversidades da época.

José Pereira, presidente da associação de classe dos técnicos, assinala, em Bola Branca, a "precariedade" crescente que se tem vindo a sentir no futebol profissional. E com reflexos naquilo que é o desenrolar da época das próprias equipas.

"É prejudicial para as próprias equipas. Por substituir o treinador, que ninguém pense que vai resolver os problemas. No final do campeonato, há uma equipa que vai ser campeã e outras duas que vão descer. Alterem o que alterarem, esta é a realidade pura e dura. É preciso que os presidentes e Direções tenham isto em mente e que tenham competência e capacidade para saber dizer aos sócios que é preciso paciência em determinadas situações para que os treinadores possam ter sucesso", começa por salientar, dando exemplos sintomáticos.

"Temos equipas que à terceira jornada têm três vitórias e depois descem de divisão ou equipas que à terceira jornada não têm pontos e acabam a qualficar-se para a Europa. Há tantos exemplos que nos levam a concluir que é preciso mais lucidez e mais calma na resolução destes problemas. Mas as pessoas não têm estofo e estatuto para aguentar estas situações. E acaba desta forma", lamenta José Pereira.

Uma palavra para Keizer: "Comportamento digno de registo"

Filipe Rocha foi o primeiro a ser "chicoteado", no último domingo. Terça-feira, rebentou nova crise desportiva para os lados de Alvalade, com a saída de um holandês que não resistiu sequer 10 meses completos no Sporting mas que sai com boa imagem.

"Quando chegam a Portugal, os treinadores estrangeiros e passam a ser apenas treinadores de futebol. Marcel Keizer teve sempre um comportamento digno de registo e do maior respeito por parte de todas as entidades e todos os portugueses", enfatiza o presidente da ANTF.

O caso particular de Silas

Podia ser Silas como outro qualquer mas a realidade é que o técnico que abandona o comando do Belenenses SAD, ainda sem qualquer vitória no campeonato ao cabo de quatro jornadas, personifica a luta pela credenciação e habilitação que a ANTF tem vindo a travar.

"É uma coisa absurda e que não se compreende. Os clubes é que fazem as leis. Mas toda a gente reconhece que essas habilidades não podem existir no nosso futebol. Estamos a estudar as possibilidades de evitar estas situações. Não é bom para o clube, que naturalmente usufrui de uma habilidade saloia e também para os treinadores, pela construção da sua carreira. Todos têm de queimar etapas para chegar ao topo. E a ANTF quer regulamentos a ser cumpridos com o que está estipulado e com as próprias leis", conclui José Pereira.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 04 set, 2019 20:07
    Senhor Presidente da ANTF, o senhor também é DIRIGENTE, não é? Por vezes são ditas VERDADES AUTENTICAS.