Mercado

FC Porto líder dos gastos, Benfica lucrou mais do que todos os outros clubes juntos

04 set, 2019 - 18:15 • João Pedro Barros , Eduardo Soares da Silva

Uma análise ao mercado de transferências deste verão mostra a importância da transferência de João Félix para o Atlético de Madrid: a verba de 126 milhões de euros permitiu ao Benfica um saldo positivo de quase 100 milhões de euros.
A+ / A-

O FC Porto foi o clube que mais dinheiro gastou na janela de transferência de verão, que terminou esta segunda-feira, como mostra a análise efetuada pela Renascença. No entanto, os Dragões gastaram apenas mais 2,75 milhões de euros do que o Benfica, que foi o grande campeão do defeso, pelo menos na perspetiva financeira: recebeu mais de 140 milhões em vendas e obteve um saldo positivo de quase 100 milhões.

Foi João Félix o nome que desequilibrou as contas a favor dos encarnados: o Atlético de Madrid pagou 126 milhões de euros (pode confirmar todos os números das transferências mais abaixo), o que representa mais de 88% das receitas que chegaram à Luz. Em relação às compras, os campeões nacionais investiram em nomes cirúrgicos, mas apenas Raúl de Tomás tem sido titular habitual, sem impressionar.

A Renascença falou com Nuno Ventura, treinador e membro da direção da Associação Nacional de Scouters, que acredita que Carlos Vinícius e Raúl de Tomás, apesar de serem jogadores de qualidade, não são semelhantes a Jonas e João Félix.

"O Vinícius é um jogador fixo, ao jeito de Seferovic, e o Raúl de Tomás também é diferente de Félix, mais tecnicista. Não foi por acaso que o Benfica esteve interessado no Luca Waldschmidt, que seria parecido ao João Félix. Foi o melhor marcador do Europeu sub-21, canhoto, cai muito bem nas alas e surge nas zonas de finalização", analisa.

Entre os plantéis de 2018/19 ou 2019/20, qual será o mais forte? "São diferentes, ambos com qualidade. O Bruno Lage aposta mais na formação, e não é que o Rui Vitória não o fizesse, mas Lage promoveu Florentino, Ferro, Jota, e ainda mais jogadores esta época. Cervi, Zivkovic e Fejsa acabaram por ficar, mas a continuidade pode ser útil para o plantel, numa época com várias frentes", adiciona.

FC Porto com contratações ciríurgicas

Por seu lado, os portistas estavam obrigados a investir, devido às saídas a custo zero de Herrera e Brahimi, à indisponibilidade de Casillas e ainda às vendas de dois titulares na defesa, Éder Militão e Felipe (duas transferências que representaram quase 80% dos proveitos). Exceção feita a Saravia e Nakajima, os jogadores contratados parecem estar a corresponder às expectativas, apesar da eliminação precoce da Liga dos Campeões, às mãos dos russos do Krasnodar.

Nuno Ventura frisa precisamente que o FC Porto "se reforçou bem, mas tardiamente para os seus objetivos", e faz notar que Marchesín chegou apenas dois dias antes da primeira mão da pré-eliminatória da Champions, e Uribe ainda mais tarde.

"Todas as contratações foram cirúrgicas e acrescentam qualidade a um plantel enfraquecido com as saídas. O clube mexeu-se bem e há ainda a integração de um ou outro jogador jovem, como o Romário Baró, que podem ser boas surpresas nesta época", perspetiva.

De todas as contratações, Saravia é o jogador com menos utilização, mas Nuno Ventura diz que o argentino tem qualidade: "É um jogador de seleção. A adaptação pode demorar mais tempo. É preciso dar mais alguns jogos para perceber se foi, ou não, um erro de 'casting'".

Bruno Fernandes foi a melhor "contratação" no Sporting

No Sporting, após a saída de Keizer, tudo parece estar mais nebuloso. Que papel terão os reforços de última hora Fernando, Jesé e Bolasie? E que peso terão as saídas de Raphinha, Thierry Correia e do goleador Bas Dost, que o clube de Alvalade parece ter sido forçado a vender para realizar dinheiro? Contas feitas, foram garantidos quase 50 milhões de euros em receitas de transferências.

Segundo a opinião do membro da direção da Associação Nacional de Scouters, a melhor notícia foi a continuidade do capitão Bruno Fernandes, "que é uma mais-valia para clube e campeonato". Jesé Rodríguez, Bolasie e Fernando terão sido boas "oportunidades de mercado" e jogadores que, apesar de "não terem sido as primeiras escolhas", estariam "referenciados pelo departamento de observação do clube".

"Fernando tem muita qualidade, e precisa de amadurecimento para explodir. O Jesé é uma eterna promessa e já passou pelo Real Madrid e PSG. Já o Bolasie é muito experiente, adiciona muita qualidade nas alas, vertigem e muita força no um para um", resumiu.

Nuno Ventura tem opiniões distintas em relação às três grandes vendas do Sporting, todas na reta final da janela de transferências, compreendendo as saídas de Raphinha para o Rennes e de Thierry Correia para o Valência, por "problemas de tesouraria", mas criticando a opção tomada em relação a Bas Dost. "Face ao seu rendimento nas últimas épocas, sai por um valor muito curto. Tinha muito valor e muito golo", analisa.

Braga e Vitória bem no mercado, mas longe dos grandes

A análise da Renascença abarcou os cinco clubes envolvidos nas competições europeias e mostra como o mercado é residual quando se afasta do universo dos três grandes: a maioria dos reforços de Braga e Vitória de Guimarães chegam por empréstimo ou a custo zero. Ainda assim, o Braga é o único destes cinco emblemas a apresentar um saldo negativo no deve e haver das transferências: 1,6 milhões de euros. Ao contrário de outras épocas, o clube liderado por António Salvador apenas fez uma grande venda: Dyego Sousa, avançado internacional português, rendeu pouco mais de cinco milhões na saída para a China. Nuno Ventura acredita que é difícil uma aproximação aos três grandes.

"Viu-se o acumular de cansaço do Braga contra o Benfica, pelo esforço na Liga Europa. O Braga reforçou-se muito bem e tem um plantel muito equilibrado, com várias opções para todas posições. O Vitória aproveitou a experiência de mercado do Carlos Freitas [diretor-desportivo] e trouxe jogadores de grande qualidade, como o Léo Bonatini e o Lucas Evangelista", explica.

Scouting cada vez mais importante

Nuno Ventura, autor do livro "Observar para ganhar", acredita que é cada vez mais importante existir uma ligação entre departamento de observação, direção e treinador: "Os olheiros não podem estar a referenciar jogadores que não vão de encontro às ideias do clube e do treinador. Tudo tem de funcionar em uníssono, senão podem ocorrer erros de casting de jogadores que têm qualidade, mas não se afirmam".

O FC Porto contratou jogadores no México, Catar, Argentina e Rússia, e o Benfica nos Emirados Árabes Unidos e Brasil. Nuno Valente destaca a importância dos mercados periféricos na política de contratações dos clubes portugueses.

"Os clubes portugueses passam por dificuldades financeiras e não competem com os grandes da Europa. É preciso observar cada vez mais e apostar em mercados menos fortes, veja-se a contratação do Morato pelo Benfica. São precisas apostas cirúrgicas nestes mercados, para se encontrar qualidade em jovens jogadores", remata.

Mercado 2019 (valores em milhões de euros)

BENFICA

Entradas: Raúl de Tomás (Real Madrid, 20), Vinícius (Nápoles, 17), Morato (São Paulo, 6), Chiquinho (Moreirense, 3,75), Cádiz (V. Setúbal, 3), Caio Lucas (Al-Ain, 0). Total: 49,75.

Saídas: João Félix (Atlético de Madrid, 126), Carrillo (Al-Hilal, 9), Salvio (Boca Juniors, 7), Bruno Varela (Ajax, 1 - empréstimo), Corchia (Sevilha, 0), Yuri Ribeiro (Nottingham Forest, 0), Krovinovic (WBA, empréstimo), Alfa Semedo (Nottingham Forest, empréstimo), Lema (Newell’s Old Boys, empréstimo), Heriberto (Boavista, empréstimo), Pedro Pereira (Bristol City, empréstimo), Willock (WBA, empréstimo), Jonas (fim de carreira). Total: 143.

FC PORTO

Entradas: Nakajima (Al Duahil, 12 - 50% direitos económicos), Uribe (América, 9), Zé Luís (Spartak Moscovo, 8,5), Marchesín (América, 7,5), Luis Díaz (Junior Barranquilla, 7), Saravia (Racing, 5,5), Marcano (Roma, 3). Total: 52,5.

Saídas: Militão (Real Madrid, 50), Felipe (Atlético de Madrid, 20), Óliver Torres (Sevilha, 12), Galeno (Braga, 3,5), José Sá (Olympiacos, 2,5), Osório (Zenit, 1 - empréstimo), Brahimi (Al-Rayyan, 0), Herrera (Atlético de Madrid, 0), Fabiano (0), Hernâni (Levante, 0), Adrián López (Osasuna, 0), Maxi Pereira (0), Mikel (Vitória de Guimarães, 0), André Pereira (Vitória de Guimarães, empréstimo), Jorge Fernandes (Kasimpasa, empréstimo), Janko (Young Boys, empréstimo), Fernando Andrade (Sivasspor, empréstimo), Chidozie (Leganés, empréstimo), Diogo Queirós (Mouscron, empréstimo), Vaná (Famalicão, empréstimo). Total: 89.

SPORTING

Entradas: Vietto (Atlético de Madrid, 7,5), Rosier (Dijon, 5), Rafael Camacho (Liverpool, 5), Eduardo (Belenenses, 3), Neto (Zenit, 0), Fernando (Shakhtar, empréstimo), Jesé (PSG, empréstimo), Bolasie (Everton, empréstimo). Total: 20,5.

Saídas: Raphinha (Rennes, 21),Thierry Correia (Valência, 12), Bas Dost (Eintracht Frankfurt, 7), Félix Correia (Manchester City, 3,5), Jonathan Silva (Leganés, 3), Iuri Medeiros (Legia, 3), Domingos Duarte (Granada, 3), Salin (Rennes, 0), Carlos Mané (Rio Ave, 0), Ryan Gauld (Farense, 0), Petrovic (Almeria, 0), Jefferson (0), Wallyson (0), André Pinto (Al Fateh, 0), Nemanja Gudelj (Sevilha, fim do empréstimo), Francisco Geraldes (AEK, empréstimo), Chaby (Académica, empréstimo), André Geraldes (Maccabi Telavive, empréstimo), Alan Ruiz (Aldovisi, empréstimo), Lumor (Maiorca, empréstimo), Ivanildo Fernandes (Trabzonspor, empréstimo), Matheus Pereira (WBA, empréstimo), Gelson Dala (Antalyaspor, empréstimo), Bruno Gaspar (Olympiacos, empréstimo), Diaby (Besiktas, empréstimo). Total: 49,5.

SC BRAGA

Entradas: Galeno (FC Porto, 3,5), André Horta (Los Angeles FC, 2,5), Vítor Tormena (Gil Vicente, 1,25), Caju (Santos, 0,35), Eduardo (Chelsea, 0), Diogo Viana (Belenenses, 0), Rui Fonte (Fulham, 0), Wallace (Lazio, empréstimo), Agbo (Standard Liège, empréstimo), Hassan (Olympiacos, fim do empréstimo). Total: 7,6.

Saídas: Dyego Sousa (Shenzhen, 5,4), Bakic (Mouscron, 0,6), Marafona (Alanyaspor, 0), Rosic (Moreirense, 0), Marcelo Goiano (Sivasspor, 0), Crislan (Shonan Bellmare, 0), Luther Singh (Moreirense, empréstimo), Fábio Martins (Famalicão, empréstimo), Alef (APOEL, empréstimo), Stojiljkovic (Boavista, empréstimo), Ricardo Ferreira (livre), Ryller (Bragantino, empréstimo), Lukic (Sheriff, empréstimo), Diogo Figueiras (Rio Ave, empréstimo), Aílton (Qarabag, fim do empréstimo). Total: 6.

VITÓRIA DE GUIMARÃES

Entradas: Bruno Duarte (Lviv, 0,6), Mikel Agu (FC Porto, 0) , Ibrahim Touré (Córdoba, 0), Marcus Edwards (Tottenham, 0), Bondarenko (Shakhtar, 0), Lucas Soares (Alverca, 0), Lucas Evangelista (Nantes, empréstimo), André Pereira (FC Porto, empréstimo), Léo Bonatini (Wolverhampton, empréstimo), Víctor García (Famalicão, fim do empréstimo). Total: 0,6.

Saídas: Tyler Boyd (Besiktas, 2,4), Tozé (Al-Nasr, 0), João Vigário (Tondela, 0), João Afonso (Santa Clara, 0), Rincón (Aldosivi, empréstimo), Mattheus (Sporting, fim do empréstimo), Osório (FC Porto, fim do empréstimo). Total: 2,4.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.