A+ / A-

Papa nomeia D. Tolentino Mendonça como cardeal a 5 de outubro

01 set, 2019 - 11:28 • Redação com Agência Ecclesia

O nome de D. José Tolentino Mendonça foi o segundo a ser anunciado, numa lista que inclui colaboradores diretos do Papa e responsáveis de várias dioceses do mundo.
A+ / A-
De sacerdote a cardeal num ano. O percurso meteórico de D. Tolentino Mendonça
De sacerdote a cardeal num ano. O percurso meteórico de D. Tolentino Mendonça

O arcebispo português D. José Tolentino Mendonça, bibliotecário e arquivista da Santa Sé, será feito cardeal no dia 5 de outubro, anunciou este domingo o Papa Francisco, após a recitação do Angelus.

O consistório para a criação de 13 novos cardeais (10 eleitores) está marcado para 5 de outubro, no Vaticano.

O nome de D. José Tolentino Mendonça foi o segundo a ser anunciado, numa lista que inclui colaboradores diretos do Papa e responsáveis de várias dioceses do mundo.

Veja o momento do anúncio, a partir do minuto 23

D. Tolentino de Mendonça será um dos mais novos cardeais a integrar o colégio cardinalício, sendo o mais jovem logo após D. Dieudonné Nzapalainga, cardeal da República Centro-Africana, de 52 anos.

Pela primeira vez na história, Portugal passa a ter cinco cardeais: três eleitores, D. Manuel Clemente, D. António Marto e D. José Tolentino; e dois eméritos, D. José Saraiva Martins e D. Manuel Monteiro de Castro.

Tolentino Mendonça, além de arcebispo, é poeta, ensaísta e tradutor e foi vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, até à sua nomeação episcopal em 26 de junho de 2018.

Doutorado em Teologia Bíblica, nasceu em Machico, em 1965, e foi ordenado padre em 1990.

Em 2015, foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem de Sant’lago da Espada pelo então presidente da República Cavaco Silva.

Em 2018, orientou o retiro quaresmal que o Papa Francisco cumpriu em Ariccia, nos arredores de Roma.

Papa agradece a Tolentino Mendonça. “A Igreja não é uma gaiola para o Espírito Santo”
Papa agradece a Tolentino Mendonça. “A Igreja não é uma gaiola para o Espírito Santo”

Foi ordenado arcebispo a 28 de julho de 2018. Começou a exercer funções como arquivista e bibliotecário da Santa Sé em setembro do mesmo ano.

Na sua ordenação como arcebispo, Tolentino Mendonça assegurou que continuará a ser padre e escritor, mas irá também “preservar aquele repositório, que é um grande tesouro da igreja e da humanidade, e ao mesmo tempo pô-lo a dialogar com a contemporaneidade”, afirmou na altura.

Em maio deste ano, D. Tolentino Mendonça lamentou que as bibliotecas sejam "olhadas como depósitos do passado e não como centros de cultura" e que estejam a ser destruídas numa "época de barbárie".

Tolentino de Mendonça. “Para mim não há diferença entre uma biblioteca e um jardim”
Tolentino de Mendonça. “Para mim não há diferença entre uma biblioteca e um jardim”

Marcelo manifesta “júbilo” pelo nomeação de D. Tolentino

O Presidente da Repúblicajá manifestou o seu “mais profundo júbilo” pela escolha de D. Tolentino Mendonça para cardeal.

D. Tolentino Mendonça vai presidir à comissão organizadora das comemorações do 10 de junho no próximo ano, anunciou, no último mês, Marcelo Rebelo de Sousa.

D. Tolentino Mendonça fará o discurso do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que terá lugar na região autónoma da Madeira e, eventualmente, também na África do Sul.

Uma carreira "brilhante"

A jornalista da Renascença Aura Miguel considera que a nomeação de D. Tolentino Mendonça como cardeal é "o culminar de uma carreira brilhante".

"Recorde-se que, Tolentino, em 2018, ainda era sacerdote. Há dois anos, foi o pregador do retiro do Papa e, apenas no verão do ano passado, foi sagrado bispo após a sua nomeação para o cargo que agora ocupa na Cúria Romana", explica a vaticanista.

"Será um dos mais novos cardeais a integrar o colégio cardinalício, com um percurso de prestígio agora confirmado pelo Papa Francisco, com esta nomeação, ao mais alto nível".


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria José M Silva
    01 set, 2019 Lisboa 19:44
    Parabéns D.José Tolentino pela nomeação para Cardeal, mas, em especial, pelo ser humano que é. Bem haja.