Tempo
|
A+ / A-

Itália. Presidente dá luz verde a Conte para formar novo governo

29 ago, 2019 - 10:12 • Redação

Movimento Cinco Estrelas e o Partido Democrático chegaram a um acordo para formar uma nova coligação de Governo, evitando eleições antecipadas.

A+ / A-

O Presidente italiano autorizou o primeiro-ministro demissionário, Giuseppe Conte, a formar um novo governo. De fora ficou o líder da Liga e ministro da Administração Interna, Matteo Salvini.

Sergio Mattarella recebeu, na manhã desta quinta-feira, Conte, depois de os partidos Movimento 5 Estrelas (M5E, anti-sistema) e Democrático (PD, centro-esquerda) terem anunciado um acordo para a formação de um novo executivo em Itália.

Foi Salvini – que se tem tornado internacionalmente conhecido pelas posições anti-imigração e por tentar agregar a extrema-direita europeia – a provocar a crise política que já há muito se anunciava entre dois parceiros (M5S e Liga) que nunca se sentiram confortáveis numa coligação de conveniência.

A 8 de agosto desfez a coligação de governo entre o Movimento e a Liga, colocando Itália numa crise política.

O ainda ministro do Interior apresentou uma moção de censura no Senado ao primeiro-ministro Giuseppe Conte, indicado pelo M5S - que não se assume como partido de esquerda nem de direita - mas que era uma espécie de fiel da balança na união entre os partidos.

Conte renunciou depois ao seu próprio cargo, efetivamente terminando a 9 de agosto uma coligação que durou apenas 14 meses.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.