|
A+ / A-

Bolsonaro responde a críticas e acusa Macron de promover uma "mentalidade colonialista descabida"

23 ago, 2019 - 08:00 • Redação

O presidente do Brasil contra-ataca, mas admite não ter meios para combater as chamas. A comunidade internacional está preocupada com a devastação na Amazónia.

A+ / A-

Um dia depois de ter sugerido que as ONGs são culpadas pelos incêndios que há mais de duas semanas consomem a floresta da Amazónia, Jair Bolsonaro recorreu às redes socias para responder às críticas internacionais de que tem sido alvo, desde o início da semana.

O Presidente do Brasil nega a “caridade” da comunidade internacional e acusa-a de servir falsos interesses que atingem “a soberania” do Brasil.

“Quando se fala do Fundo Amazónia e que vinha dinheiro de fora [apoio financeiro da Alemanha e Noruega], mais ou menos 40% disso ia para ONGs. É dinheiro na mão de pessoas que não trabalham para o bem do Brasil, em grande parte, trabalham para atender os interesses de quem lhes paga”, acusou Bolsonaro no Facebook.

“Esses países que mandam dinheiro para cá não mandam por caridade, mandam para cá com interesse de atingir a nossa soberania” acrescentou.

Entre os principais alvo das críticas do chefe de Estado brasileiro está o presidente francês, que na quinta-feira apelou à discussão dos incêndios na Amazónia na cimeira do G7, que se realiza este fim de semana em Biarritz, sudoeste de França, afirmando que se trata de uma "crise internacional".

Em resposta, Bolsonaro acusa Emmanuel Macron de “instrumentalizar uma questão interna do Brasil e de outros países amazónicos para ganhos políticos pessoais” e rejeita a “mentalidade colonialista descabida” do francês.

“A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século XXI”, escreveu na mesma rede social.

Nem o erro do Presidente francês, que partilhou uma fotografia da Amazónia captada por um fotojornalista que morreu em 2003, escapou ao olhar atendo do homólogo brasileiro.

“O tom sensacionalista com que se refere à Amazônia (apelando até p/ fotos falsas) não contribui em nada para a solução do problema”, acusou Bolsonaro.

Apesar das fortes críticas, o Presidente brasileiro reconhece que não tem recursos para combater o número recorde de incêndios que nas últimas semanas atingiu a floresta da Amazónia.
Para além da reação de Emmanuel Macron, também António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas apelou à proteção da Amazónia.

“Estou profundamente preocupado com os incêndios na floresta amazónica. Em plena crise climática global, não podemos permitir mais danos a uma fonte importante de oxigénio e biodiversidade. A Amazónia tem de ser protegida”, escreveu na conta oficial do Twitter.

O Observatório do Clima, que reúne cerca de 50 organizações não-governamentais (ONG) ambientais do Brasil, disse esta quinta-feira que a "irresponsabilidade" de Jair Bolsonaro perante o "património brasileiro", "a saúde da população amazónica" e "o clima do planeta" se reflete "no recorde de queimadas no país".

No início do mês, a Noruega e a Alemanha suspenderam o financiamento de projetos de contenção da desflorestação no Brasil depois de avaliarem as mudanças no processo de seleção desde que Bolsonaro assumiu funções.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sasuke Costa
    23 ago, 2019 20:17
    Pura leviandade as minhas palavras. (queiram desculpar por favor.)
  • JMC
    23 ago, 2019 USA 14:40
    O Jair Bolsonaro é o Donald Trump da América do Sul––continuando a negar a realidade.
  • Sasuke Costa
    23 ago, 2019 14:05
    Os países, onde não é permitido julgamentos sumários, têm mais é que se abster perante outros governados pela ira. Observem unicamente os colonizadores, “por lá” irados e ante venham o Seu próprio futuro pois esse é que importa. Não há benesses a individuais, o planeta lida com povos agressores, tem infantaria vegetal e cavalaria voadora.
  • Sebastião Cunha
    23 ago, 2019 Lyon 11:31
    Pois é só que o Bolsonero esquece que a França faz fronteira com o Brasil. A Guiana Francesa é o prolongamento da Amazónia. Se ele não se preocupa com a sua casa, Macron só faz o que tem que fazer. Eleger ignorantes dá nisto.
  • ana silva
    23 ago, 2019 faro 10:09
    Quem se deixa representar por figuras como Bolsonaro só pode acabar mal.
  • João Lopes
    23 ago, 2019 09:34
    Concordo com o que diz Bolsonaro!
  • joao
    23 ago, 2019 queluz 08:25
    Gente de bem nada quer contigo Bolso.