|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ébola. UE reforça apoio financeiro para evitar que doença se espalhe

21 ago, 2019 - 12:48 • Marta Grosso

“O novo financiamento será atribuído através da Organização Mundial de Saúde e reforçará as capacidades de coordenação, vigilância e resposta ao vírus em distritos de alto risco no Burundi, fronteira com a República Democrática do Congo”, explica Bruxelas.

A+ / A-

A União Europeia vai aumentar a assistência financeira ao Burundi com 465 mil euros. O objetivo é intensificar as medidas de preparação contra o Ébola pelas autoridades e as organizações de ajuda que se encontram no país.

O surto da doença na República Democrática do Congo, vizinha do Burundi, continua a espalhar-se no Leste do país e o risco de propagação para os países vizinhos é alto.

“Para combater eficazmente o vírus Ébola, não só temos de abordar os casos afetados na República Democrática do Congo, como aumentar os nossos esforços para evitar que a doença se espalhe para países vizinhos como o Burundi”, sustentou nesta quarta-feira o comissário europeu de Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, também Coordenador da UE para o Ébola.

“A União Europeia está, por conseguinte, a apoiar medidas de preparação para o Ébola em curso no país, incluindo a prevenção e o controlo de infeções. O novo financiamento será atribuído através da Organização Mundial de Saúde e reforçará as capacidades de coordenação, vigilância e resposta ao vírus Ébola em distritos de alto risco no Burundi, fronteira com a República Democrática do Congo”, acrescenta Christos Stylianides.

O novo apoio financeiro vem complementar o já existente e dirigido “aos esforços da UE em curso em matéria de vigilância do Ébola e de sensibilização através das ONG e das Nações Unidas”.

O que é o ébola? Explica-me como se eu tivesse cinco anos
O que é o ébola? Explica-me como se eu tivesse cinco anos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.