|
A+ / A-

Pardal Henriques confirma que é candidato a deputado pelo partido de Marinho Pinto

21 ago, 2019 - 16:01 • Redação

O até agora porta-voz dos motoristas vai ser candidato nas listas do PDR. Pardal Henriques pretende ser uma "voz ativa contra a corrupção no Parlamento".

A+ / A-

Marinho Pinto anunciou esta quarta-feira que Pedro Pardal Henriques é candidato a deputado pelo Partido Democrático Republicano (PDR). O porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) já confirmou que vai concorrer às eleições legislativas de 6 de outubro.

À margem da entrega das listas de candidatos a deputados pelo PDR, num tribunal do Porto, Marinho Pinto manifestou muito orgulho em Pardal Henriques por ter "rompido" com o que diz ser o controlo do sindicalismo por parte dos partidos.

"Nós estamos muito orgulhosos por termos no combate eleitoral que vamos travar um homem que foi a cara de um combate sindical extremamente importante, porque fugiu ao controlo que os aparelhos partidários têm sobre o sindicalismo em Portugal", afirmou Marinho Pinto aos jornalistas.

"Isto é que é de enaltecer e de apoiar. Um sindicalismo controlado por comissários políticos dos partidos políticos é um sindicalismo castrado, que não respeita os interesses dos trabalhadores, é um sindicalismo que está ao serviço das burocracias partidárias, das clientelas partidárias e não dos trabalhadores", adiantou o cabeça de lista do PDR às legislativas de 6 de outubro.

Para Marinho Pinto, o porta-voz do SNMMP, Pedro Pardal Henriques, "rompeu com isso e rompeu, também, com um esquema gigantesco de fraudes nas remunerações do trabalho em Portugal, Denunciou-o publicamente".

Pardal Henriques quer ser "voz ativa contra corrupção no Parlamento"

Em comunicado enviado à Renascença, Pardal Henriques confirma que é candidato na lista do PDR por Lisboa, vai deixar de ser porta-voz do sindicato, mas continuará a prestar todo o apoio jurídico à causa dos motoristas.

"Tomei esta decisão depois de ponderar bastante e de conferenciar com a minha família, e fi-lo consciente de que pretendo ser uma voz ativa por todas as causas que tenho vindo a defender, e que considero que hoje não estão representadas no Parlamento português", refere o advogado.

Pardal Henriques dá como exemplo a recente greve dos motoristas e a posição dos partidos com assento parlamentar "relativamente à utilização de todos os meios possíveis para através da força e da aliança com as empresas, dizimar os direitos constitucionais dos trabalhadores, que reclamam unicamente o pagamento do trabalho que fazem, sem esquemas fraudulentos".

O candidato a deputado pelo PDR acrescenta que deixa de ser porta-voz do SNMMP, "por forma a não misturar o que poderia ser interpretado como campanha eleitoral", mas vai continuar a "representar juridicamente" o sindicato dos motoristas de matérias perigosas, o Sindicato dos Seguranças e Vigilantes de Portugal, o Sindicato Independente dos Trabalhadores da Rodoviária de Lisboa, assim como "outros sindicatos e causas" que aceitou defender.

Pardal Henriques garante que "nunca" foi sua intenção "iniciar uma carreira política e afirma que não se aproveitou da causa dos motoristas para autopromoção, porque abraçou esta luta desde 2017.

"A estas pessoas que possam utilizar esses argumentos baixos, apenas questiono o porquê não tiveram coragem de assumir esta ou outras causas como estas? É mais fácil criticar ou manter-se conivente com os esquemas instalados no nosso Estado."

Pardal Henriques diz que se candidata para defender as causas em que acredita, em especial o "novo sindicalismo independente", e ser "uma voz ativa contra a hipocrisia e a corrupção no Parlamento português".

Não se confirma "com a agressão aos direitos fundamentais dos trabalhadores, dos pensionistas, e daqueles que sofrem diariamente pelos ataques disferidos pelos poderes coligados no nosso Estado de direito", sublinha.

"Candidato-me para defender e representar estas causas, contra a corrupção. Candidato-me mas não abandonarei as causas que represento. Candidato-me porque acredito que podemos voltar a recuperar os valores de Abril", conclui.

Pardal Henriques tem sido o principal rosto da luta dos motoristas de matérias perigosas, que realizaram duas greves em abril e agosto e agenderam outra para setembro, entre os dias 7 e 22, às horas extraordinárias, fins de semana e feriados.

O presidente do SNMMP, Francisco São Bento, chegou a afirmar que Pardal Henriques tinha rejeitado uma proposta para ser candidato a deputado. Numa entrevista à SIC Notícias, na terça-feira, Pardal Henriques afirmou que estava a ponderar essa possibilidade e que ia decidir em breve.

[notícia atualizada às 18h28 - com a confirmação de Pardal Henriques]

Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Rui Tourigo
    21 ago, 2019 Ermesinde 19:58
    Usou os motoristas e gozou com o povão para isto? Deves ter muitos votos, deves. O Marinho e Pinto está a ver bem o filme?
  • tiago
    21 ago, 2019 sines 17:15
    Claro que a greve era uma jogada de auto-promocao. Deve ter 2 votos.