Austrália. Supremo Tribunal mantém condenação por abuso sexual do cardeal Pell

21 ago, 2019 - 11:14 • Joana Bourgard , com Reuters

A justiça australiana decidiu recusar o pedido de recurso do cardeal George Pell pelas cinco acusações de abuso sexual de menores. O antigo conselheiro económico do Papa Francisco Pell vai continuar na prisão para cumprir a pena de seis anos pelo abuso de dois menores de 13 anos, no final de 1996 e no início de 1997, na catedral de S. Patrício, em Melbourne, onde Pell era arcebispo.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    22 ago, 2019 09:34
    O cardeal Pell sempre manteve, mantém e continua a manter a sua inocência. Pell, é conservador, não se cala facilmente, é muito aguerrido (é contra o aborto, contra a eutanásia, a favor da família natural, defensor dos mais fracos) e por isso colecionou bastantes inimigos. Depois de vários anos e muita publicidade, há o testemunho de um único acusador, com problemas de droga, porque o outro morreu em 2014 e antes confessou a sua mãe ser tudo mentira. O diário australiano The Age fez perguntas que fazem pensar no quanto assombrosas são as acusações: «Depois de uma missa solene, com muita gente, onde estava toda a sua equipa, o mestre de cerimónias Charles Portelli, o sacristão Max Potter e 60 meninos do coro. A promotoria da justiça declara - mas não consegue provar - que havia "uma janela de cinco minutos" ... e Pell, como um louco, se "teria atirado" aos dois rapazitos…- embora qualquer pessoa pudesse entrar na sacristia e houvesse muita gente na catedral e todo o mundo estivesse esperando por ele.