Oito pessoas foram retiradas do "Open Arms". Permanecem 98 imigrantes a bordo em condições "desumanas"

20 ago, 2019 - 11:13 • Joana Bourgard , com Reuters

Devido a necessidades médicas urgentes, oito pessoas do navio "Open Arms" foram transferidas para o porto italiano de Lampedusa. Neste momento, o navio está há três semanas no mar e mantém 98 pessoas a bordo, onde se vive uma “emergência humanitária extrema”. O fundador da “Open Arms” alerta para lutas constantes e diz que a tensão a bordo é insustentável. Espanha permitiu que o navio atracasse em Algeciras, uma viagem impossível para a embarcação antiga, pequena e com excesso de pessoas.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.