A+ / A-

António Costa. Período de crise energética acaba à meia-noite

19 ago, 2019 - 08:26 • Redação

Anúncio é feito pelo primeiro-ministro, garantindo que dentro de três dias estará tudo normalizado.
A+ / A-

O período de crise energético decretado por causa da greve dos motoristas acaba à meia-noite. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, esta segunda-feira, durante a visita Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE).

Aos jornalistas, o primeiro-ministro disse que o Conselho de Ministros se vai realizar às 9h00, onde vão ser propostos três pontos, nomeadamente, o fim da crise energética às 24h00 desta segunda-feira; o fim da rede Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA) exclusiva às 10h00 e ainda o aumento de combustível possível para venda, de 15 para 25 litros.

As limitações ao abastecimento de viaturas particulares começaram a vigorar às 23h59 do dia 11.

O primeiro-ministro antecipa que a situação dos postos de combustíveis deve normalizar nos próximos “dois a três dias”.

O Governo confirmou que está marcada uma reunião a realizar terça-feira no Ministério das Infraestruturas e Habitação, em Lisboa, com vista à retoma das negociações.

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas anunciou domingo a desconvocação da greve iniciada na segunda-feira, por tempo indeterminado, porém ameaçou com novas paralisações, desta feita às horas extraordinárias, aos fins de semana e aos feriados, caso a Antram "demonstre uma postura intransigente" na reunião de terça-feira, no Ministério das Infraestruturas e Habitação, em Lisboa.

O SNMMP estava isolado na greve desde que o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias se desvinculou do protesto na quinta-feira à noite após um encontro com a Antram sob mediação do Governo.

Um dos principais motivos da greve era o aumento dos vencimentos para os motoristas.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.