A+ / A-

Governo anuncia que mediação na greve dos motoristas "não é viável"

15 ago, 2019 - 19:12 • Redação com Lusa

O mediador deveria contactar a Antram já esta sexta-feira, mas agora o processo cai por terra, apenas quatro horas depois de ter sido anunciada essa hipótese.
A+ / A-

O secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, disse esta quinta-feira à noite que o processo de mediação para travar o conflito laboral entre o sindicato de matérias perigosas e a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodovários de Mercadorias (Antram) "não é viável".

"O processo de mediação só avança quando tem viabilidade" e "depende da vontade das partes", afirmou o governante, em conferência de imprensa, em Lisboa.

Miguel Cabrita colocou a responsabilidade do final deste processo nos sindicatos em greve: "Para que qualquer pedido de mediação não seja um expediente dilatório e possa ter condições de êxito é fundamental que a greve seja desconvocada. O Governo está disponível como sempre esteve, para avançar no caminho da negociação".

Antes, o secretário de Estado tinha dito que o Governo ia nomear um mediador para tentar terminar o conflito entre a Antram e o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

O mediador deveria contactar a Antram já esta sexta-feira, mas agora o processo cai por terra, apenas quatro horas depois de ter sido anunciada essa hipótese.

Esta tarde, o SNMMP pediu a mediação do Governo para chegar a um entendimento que permita terminar a greve. A Antram respondeu, em comunicado, que só negociava com os sindicatos se estes decretarem o fim da greve das motoristas. Se esta desconvocação fosse feita, a associação patronal entraria em processo negocial já esta sexta-feira, respondendo assim afirmativamente ao pedido de mediação que o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) fez esta tarde ao Governo.

A associação patronal salientou, assim, aquilo que vem dizendo publicamente, que “negoceia desde que a greve seja levantada”, relembrando que o mecanismo de mediação que o Governo propôs às partes envolvidas no conflito na semana anterior à greve foi “liminarmente” rejeitado pelo SNMMP.

“Chegámos à conclusão de que o melhor caminho será recorrer, ou requerer, a mediação do Governo”, afirmou Francisco São Bento, presidente do SNMMP, acrescentando que “cabe agora ao Governo tentar colocar-se à mesa com a Antram”.

O dirigente sindical esclareceu que agora, depois de ter sido requerida a mediação do Governo, era ao executivo que compete "tentar colocar-se à mesa" das negociações diretamente com a Antram e, posteriormente, com o sindicato.

Enquanto decorrerem as negociações, a greve "mantém-se nos mesmos moldes", segundo o SNMMP.

Os motoristas de transportes de matérias perigosas e de mercadorias cumprem esta quinta-feira o quarto dia de uma greve por tempo indeterminado, que levou o Governo a decretar uma requisição civil na segunda-feira à tarde, alegando incumprimento dos serviços mínimos.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.