A+ / A-

​Fátima. Cardeal apela à solidariedade de cristãos e não-cristãos para com os migrantes

13 ago, 2019 - 00:30 • Teresa Paula Costa

“Não sois apenas miseráveis expostos a todas as intempéries, sois mensageiros de Deus", afirmou o cardeal canadiano Marc Ouellet na peregrinação do migrante e do refugiado.
A+ / A-

O cardeal Marc Ouellet apelou esta segunda-feira aos migrantes presentes no santuário de Fátima que sejam testemunho do amor de Jesus e recebam solidariedade dos povos que os acolhem.

Considerando que “o povo dos migrantes e dos refugiados é um povo de seres humanos vulneráveis, descartados, maltratados e desprezados como o foi o Crucificado”, o prefeito da Congregação para os Bispos dirigiu-se aos presentes na peregrinação aniversária de agosto dizendo que a “vossa solidariedade para com todos, que manifestais através desta peregrinação, é um sinal dos tempos e um sinal de Deus em ação na história”.

Por isso, pediu-lhes que se lembrem “da esperança que habita em vós e da mensagem que levais a toda a humanidade”.

“Não sois apenas miseráveis expostos a todas as intempéries,” considerou o cardeal que acrescentou: “sois mensageiros de Deus que, através de vós, recorda a todos o destino comum da humanidade a caminho até à cidade de Deus”.

O cardeal Marc Ouellet disse aos peregrinos esperar que possam “encontrar o testemunho da caridade dos cristãos e dos não-cristãos” a fim de conservarem “a vossa esperança ao longo do caminho”.

Subordinada ao tema “Não são apenas migrantes”, as cerimónias integram, esta terça-feira, a tradicional oferta do trigo pelos peregrinos ao santuário e a evocação da queda do muro de Berlim.

Inscritos estão 50 grupos de peregrinos vindos de países como Vietname, Síria, Senegal, Brasil, Indonésia e um grupo de cingaleses e indianos residentes em França.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.