A+ / A-

Governo garante não haver qualquer risco de falhas no abastecimento a hospitais

13 ago, 2019 - 16:09 • Pedro Mesquita , Filipe d'Avillez

O alerta foi deixado pela ANTRAM para pedir a requisição civil total. À Renascença, o administrador regional de saúde rejeita tal cenário e fonte do Governo confirma o desmentido.

A+ / A-

Fonte do Governo desmente à Renascença a existência de qualquer risco de falhas no abastecimento de combustíveis a envolver hospitais. É a reação oficial ao alerta deixado pela Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM).

O desmentido do Governo vem confirmar as declarações, também à Renascença, do administrador Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco, que garante não ter recebido, nas últimas horas, qualquer alerta nesse sentido e nem de problemas com o abastecimento, seja de gás criogénico seja de combustíveis aos hospitais da região.

Luís Pisco assegura que “nenhum hospital contactou [a ARSLVT] relatando problemas com qualquer tipo de abastecimento. Questionámos alguns hospitais e voltaram a dizer que não.”

“Seria estranho, de qualquer forma, porque os hospitais e centros de saúde fazem parte do abastecimento prioritário e se houvesse algum risco de falha certamente seríamos contactados”, sublinha.

O alerta tinha sido feito ao início da tarde, em comunicado emitido pela ANTRAM, e sublinhado já depois à Renascença pelo porta-voz da associação que representa os patrões neste conflito que levou à greve dos motoristas de matérias perigosas.

Esta foi a base, de resto, para que a ANTRAM pedisse ao Governo a generalização da requisição civil.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.