|
A+ / A-

Greve dos motoristas. GNR já conduziu 13 camiões

13 ago, 2019 - 11:27 • Liliana Monteiro

Governo faz o balanço da participação das forças de segurança no primeiro dia de greve dos motoristas de pesados de matérias perigosas.

A+ / A-

Veja também:


A Guarda Nacional Republicana (GNR) foi chamada, na segunda-feira, a fazer o transporte de combustível em 13 veículos pesados de transporte de mercadorias perigosas.

Os camiões tiveram como destino as regiões de Lisboa, Setúbal, Beja e Algarve, revela o Ministério da Administração Interna nesta terça-feira, no primeiro balanço da greve dos motoristas de matérias perigosas.

A operação envolveu 26 militares, avança ainda o MAI em comunicado enviado esta manhã às redações.

Além disso, sete agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) foram requisitados para fazer o transporte de combustível em sete veículos pesados com destino às regiões de Lisboa, Setúbal e Sintra.

Estes são transportes realizados no âmbito da requisição civil decretada pelo Governo e da situação de alerta que foi declarada para o período compreendido entre as 23h59 do dia 9 de agosto de 2019 e as 23h59 do dia 21 de agosto de 2019, em todo o território de Portugal continental.

Na segunda-feira, em declarações à Renascença, um camionista de mercadorias confirmava que as forças de segurança já estavam a fazer conduzir veículos de matérias perigosas – isto, apesar de o primeiro-ministro ter garantido que apenas os serviços mínimos estavam a ser realizados.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Hugo
    13 ago, 2019 Leiria 19:33
    QUEM CRIOU, DEIXOU ANDAR, ANDOU A MAMAR E QUER BENEFICIAR COM O PROBLEMA, QUE O RESOLVA... OS OUTROS MILHOES DE PORTUGUESES NÃO TÊM DE PAGAR INJUSTAMENTE PELO QUE NÃO FIZERAM, NEM TÊM NADA A VER COM ISSO. NO FINAL NEHUM DE NÓS BENEFICIARÁ NADA COM O RESULTADO A NÃO SER OS MOTORISTAS QUE SÓ PENSAM NELES PRÓPRIOS.