A+ / A-
EUA

1819 ou 2019? Negro detido no Texas levado por uma corda

06 ago, 2019 - 18:07 • Redação

Chefe da polícia de Galveston já pediu desculpa pelo sucedido.
A+ / A-

A imagem de dois polícias a cavalo a levarem um homem negro, que tinham detido momentos antes, preso por uma corda pelas ruas de Galveston, no Texas, está a chocar os Estados Unidos.

O chefe da polícia de Galveston já pediu desculpas públicas pela atuação dos agentes, que considerou terem provocado um “embaraço desnecessário” ao detido.

O caso ganhou proporções nacionais depois de a imagem se ter tornado viral nas redes sociais, onde surgiram comparações com o tempo da escravatura.

“Isto é errado!!! Ninguém pode, nunca, ser preso com uma corda e puxado por um cavalo para ir a qualquer lado”, escreveu Erin Toberman, a primeira pessoa a denunciar a situação através do Facebook.

Adrienne Bell, uma candidata democrata ao Congresso do Texas, já exigiu que seja aberta uma investigação, considerando que a “cena invoca raiva, desgosto e levanta perguntas na comunidade”.

Além do pedido de desculpas, a polícia de Galveston explicou em comunicado que Donald Neely, de 43 anos, foi detido por invasão de propriedade.

Dois agentes a cavalo algemaram o homem e prenderam uma corda às algemas, para o levarem para a esquadra mais próxima.

Na sequência da polémica, a polícia de Galveston anunciou que suspendeu a utilização da “técnica” de detenção que gerou a polémica.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.