A+ / A-

Europeus mostram-se otimistas com a União Europeia e defensores do euro

05 ago, 2019 - 11:51 • Marta Grosso

São os melhores resultados em cinco anos do Eurobarómetro Standard da Primavera. Inquiridos confiam no futuro da UE e sentem-se cidadãos europeus.
A+ / A-

Aumentou a perceção positiva dos cidadãos europeus sobre a União Europeia, desde a economia ao estado da democracia, revela o novo inquérito Eurobarómetro, publicado nesta segunda-feira.

Desde 2014, antes da entrada em funções da Comissão Juncker, que esta sondagem não obtinha resultados tão positivos.

O inquérito foi realizado entre 7 de junho e 1 de julho de 2019 (já depois das eleições europeias) nos 28 países da UE e em cinco países candidatos à adesão.

Entre as principais conclusões, contam-se um apoio sem precedentes ao euro e o facto de as alterações climáticas passarem a ser a segunda maior preocupação a nível da UE, depois da imigração.

Confiança em relação ao futuro

A confiança na UE está no nível mais elevado desde 2014 e continua a ser superior à confiança nos governos ou parlamentos nacionais.

A confiança na UE aumentou em 20 Estados-membros, com as percentagens mais elevadas observadas na Lituânia (72%), na Dinamarca (68%) e na Estónia (60%).

A maioria dos europeus está também otimista face ao futuro da UE, enquanto apenas 34% estão pessimistas. O otimismo é mais elevado na Irlanda, na Dinamarca, na Lituânia e na Polónia.

No outro extremo da escala, o otimismo é menos acentuado no Reino Unido e em França.

Além disso, mais de metade dos inquiridos “tendem a confiar” na UE, indica o Eurobarómetro.

Desde o último inquérito, no outono de 2018, aumentou a percentagem de inquiridos com imagem positiva da UE (45%) – subida verificada em 23 Estados-membros, incluindo Portugal.

A minha voz conta?

A maioria dos europeus considera que “a sua voz conta na UE”. A média da UE-28 atinge 56% (+7 pontos percentuais desde o outono de 2018; +11 desde a primavera de 2018; +14 desde a primavera de 2014), com as pontuações mais elevadas observadas na Suécia, na Dinamarca e nos Países Baixos.

Quanto ao funcionamento da democracia, 55% dos inquiridos declaram estar satisfeitos, representando a pontuação mais alta desde o outono de 2004. O número dos “não satisfeitos” diminuiu e passou para 36%.

Apoio sem precedentes ao euro

O apoio à União Económica e Monetária (UEM) e ao euro atinge um novo recorde, correspondendo a mais de três quartos dos inquiridos. No conjunto da UE, o apoio ao euro mantém-se estável nos 62%.

As opiniões positivas sobre a situação das economias nacionais prevalecem, com a maioria (49%) a considerar que é boa e 47% a dizerem que é má.

Luxemburgo, Dinamarca e Países Baixos são os países com pontuações mais elevadas. A percentagem mais baixa aparece na Grécia, na Croácia, na Bulgária, em Itália, Espanha e França.

Cidadãos europeus

Mais de metade dos inquiridos da UE-28 sentem-se cidadãos do bloco e a grande maioria apoia “a livre circulação dos cidadãos, que podem viver, trabalhar, estudar e fazer negócios em qualquer país da UE”.

Clima e ambiente entre as principais preocupações

A imigração continua a ser a principal preocupação dos europeus, apesar de registar uma forte diminuição em prol das alterações climáticas, que estavam em quinto lugar no outono de 2018 e são agora a segunda preocupação mais importante.

Depois, há três preocupações em pé de igualdade: a situação económica, o estado das finanças públicas dos Estados-membros e o terrorismo.

Dentro da situação económica, o desemprego, que está agora na sétima posição ao nível da UE, continua a ser a principal preocupação ao nível nacional, juntamente com o aumento dos preços/da inflação/do custo de vida e a saúde e segurança social.

O ambiente, o clima e a energia são as questões que surgem logo a seguir.

O Eurobarómetro Standard da Primavera de 2019 foi realizado através de entrevistas presenciais nos 28 Estados-membros e nos países candidatos(Macedónia do Norte, Turquia, Montenegro, Sérvia e Albânia).


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.