|
A+ / A-

É no clube de Erdogan que Jorge Fernandes procura afirmação internacional

26 jul, 2019 - 14:30 • Sílvio Vieira

O central, de 22 anos, está no Kasimpasa, por empréstimo do FC Porto. Depois da experiência na I Liga, no Tondela, Jorge sentiu que era momento de se testar a outro nível.

A+ / A-

A vontade de se testar a um nível superior, num ambiente mais desafiante, mais competitivo, de sair da sua zona de conforto e de conquistar um novo espaço levou Jorge Fernandes a optar por um rumo diferente na carreira.

Depois de chegar à I Liga, e da experiência de uma época e meia no Tondela, as portas do plantel principal do FC Porto, clube com o qual tem contrato até 2021, voltaram a ficar fechadas e a decisão passou por "dar um passo em frente".

"Queria perceber como me iria sentir num ambiente mais competitivo, mesmo para me testar a mim próprío. Avaliei as propostas com o meu empresário e achámos que a do Kasimpasa era a melhor, até pelo interesse demonstrado pelas pessoas do clube", explica o central, de 22 anos, em entrevista à Renascença.

Adaptação ao clube do presidente da Turquia, Recep Erdogan

Já com mais de um mês de vida em Istambul, Jorge sente que a adaptação "está a correr bem". O treinador, Kemal Ozdes, é turco, mas há um intérprete que faz a tradução para os jogadores, facilitando o derrube da barreira linguística: "Consigo safar-me, porque tive inglês na escola e consigo perceber, perfeitamente, o que me dizem".

O que impressionou o central formado no FC Porto são as condições que o Kasimpasa, 14.º classificado da última liga turca, oferece aos atletas. "O nível das instalações supera quase todas em Portugal. Temos piscina interior, spa, campo de basquetebol coberto, ténis, quartos individuais. Eu nunca estive na academia do Benfica, no Seixal, mas creio que as do Kasimpasa são ainda melhores", descreve.

Instalado na margem europeia de Istambul, o Kasimpasa está sediado no bairro que lhe dá o nome. O estádio, encaixado no centro da cidade, com capacidade para 15 mil espectadores, tem o nome do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

Erdogan cresceu no bairro, foi jogador do clube e é ali que está fundada a sua maior fonte de apoio em Istambul. Jorge ainda não ouviu histórias sobre a relação do presidente do país com o clube pelo qual vai jogar, esta época, mas poderá, em breve, tê-lo como observador atento nas bancadas do Estádio Recep Tayyip Erdogan.

Época para abrir novos horizontes

A ideia do central português é dar tudo para ganhar estatuto no novo clube, em primeiro lugar, para no final da época poder ter um leque de opções vasto para prosseguir a carreira.

Na Turquia, os maiores clubes, como Besiktas, Galatasaray, Fernerbahçe, estão sempre alerta para as revelações nas outras equipas e, com frequência, fazem desses jogadores alvos preferenciais. Jorge Fernandes admite que dar o salto para um desses emblemas "acaba por ser uma das possibilidades".

No entanto, a sua visão é mais ampla e, nesta fase, deixa tudo em aberto. "Quanto melhor eu trabalhar, mais hipóteses haverá. Também exisite a possibilidade de ficar no Kasimpasa", acrescenta o jogador que tem contrato com o FC Porto, clube que também o poderá chamar de volta.

O Kasimpasa estabeleceu-se nos últimos anos como um clube de I Liga, na Turquia, e na época passada chegou a estar na discussão dos primeiros lugares. Uma série de maus resultados, na segunda metade da temporada, acabou por atirar o clube para o 14.º lugar final. Jorge acredita que "esta época as coisas vão ser diferentes, para melhor" e o Kasimpasa lutará por posições mais cimeiras.

A vida mudou para o central português, que procura reconhecimento internacional para, quem sabe, despertar a atenção de Fernando Santos. Jorge tem percurso nas seleções jovens e "se a porta da seleção A se abrir, tanto melhor". "Seria sinal de que o trabalho que estou a desenvolver aqui é muito bom. O Rúben [Dias] está a ter oportunidade dele, e merecida. O Ferro também está à espreita e se eu tiver essa oportunidade tenho de chegar lá e provar que mereço e tenho qualidade para lá estar", remata.

Aos 22 anos, Jorge seguiu viagem para Istambul. Depois de FC Porto e Tondela, o central português escolheu o clube de Erdogan, o Kasimpasa, para dar um passo em frente na carreira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.