Tempo
|
O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias de segunda a sexta-feira (05h40, 17h50 e 21h05).
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Casinos online - 23/07/2019
O Mundo em Três Dimensões - Casinos online - 23/07/2019

O Mundo em Três Dimensões

Portugueses em 2.º lugar no ranking de quem mais gasta em apostas online

23 jul, 2019 • André Rodrigues e Paulo Teixeira (sonorização)


Cada português gasta 2,4% do seu rendimento anual em apostas.

No Porto, existem 170 gamers divididos em 25 equipas que se dedicam ao segmento dos jogos de casino em espaço físico e aplicações online, que vão desde poker até apostas desportivas e bingo eletrónico.

Cerca de 7% da população portuguesa que dedica parte do seu rendimento anual a estes passatempos e, a seguir aos britânicos, são os que gastam mais dinheiro nos jogos online.

No Reino Unido, 17% da população adulta é fã de apostas online e jogos de sorte e de azar.

Se os britânicos e os portugueses são os que têm maior presença no mercado dos apostadores, os italianos são os que dedicam a maior percentagem de rendimento anual aos jogos de sorte e de azar (3,3%). Seguem-se os britânicos (2,8%) e, finalmente, os portugueses (2,4% de rendimento gasto em apostas no espaço de um ano).

De um rendimento de 15.000 euros, 360 euros (2,4%) são gastos em apostas no espaço de um ano.

Só em 2018, 125 mil portugueses tornaram-se jogadores em casinos online.

O software Fabamaq - desenvolvido por esta empresa portuguesa com 170 funcionários - está presente em oito mil máquinas de casino, a maior parte delas, mais de seis mil, só no continente asiático.

Em 2018, foram efetuadas aproximadamente três mil milhões de jogadas, a maioria na Ásia, em jogos desenvolvidas por esta empresa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.