|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Protesto dos motoristas

Ministro aconselha condutores a abastecer viaturas antes da greve

24 jul, 2019 - 11:49 • Lusa

Sindicatos dos motoristas reúnem-se hoje para definir serviços mínimos da greve.

A+ / A-

O ministro das Infraestruturas defende que os portugueses devem começar a “abastecer” as suas viaturas para “se precaverem” no caso de haver greve dos motoristas a partir de 12 de agosto.

"Temos todos de nos preparar. O Governo está a fazer o seu trabalho [para evitar a greve], mas todos podíamos começar a precaver-nos, em vez de esperarmos pelo dia 12, que não sabemos se vai acontecer", disse Pedro Nuno Santos em Matosinhos, à margem da apresentação de um investimento na ferrovia, acrescentando. Ao abastecerem poderiam "enfrentar com maior segurança o que vier a acontecer".

Os sindicatos dos motoristas estão reunidos na Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) para planificar os serviços mínimos.

O pré-aviso do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e do Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) para a greve com início em 12 de agosto propõe serviços mínimos de 25% em todo o território nacional, enquanto na greve de abril eram de 40% apenas em Lisboa e Porto.

Os representantes dos motoristas pretendem um acordo para aumentos graduais no salário-base até 2022: 700 euros em janeiro de 2020, 800 euros em janeiro de 2021 e 900 euros em janeiro de 2022, o que com os prémios suplementares que estão indexados ao salário-base, daria 1.400 euros em janeiro de 2020, 1.550 euros em janeiro de 2021 e 1.715 euros em janeiro de 2022.

Estes sindicatos acusam a Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) de já ter aceite este acordo e de agora estar a voltar atrás na decisão, o que a ANTRAM desmente.

Segundo fonte sindical, existem em Portugal cerca de 50.000 motoristas de veículos pesados de mercadorias, 900 dos quais a transportar mercadorias perigosas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    24 jul, 2019 Lisboa 14:33
    Abastecer, até se pode fazer, mas basta a greve durar mais que 10 dias e haverá muita gente em dificuldades. É aí que se espera pelas medidas e pelo tal plano alternativo, que o governo diz estar a preparar. Pelo menos, tempo para isso, tem. Dia 12, veremos se o governo realmente fêz o seu trabalho, ou só mandou cá para fora uma carrada de tretas
  • 24 jul, 2019 14:28
    ABASTECER e não andar? ABASTECER e andar um pouquinho? Será que o GOVERNO já está nas LONAS e precisa de DINHEIRO? Afinal o Senhor é MINISTRO de quê? Por " amor de Deus ", pensem bem antes de FALAREM. Já agora e como as temperaturas estão ALTAS deixem de USAR GRAVATA apenas para se tornarem CHIQUE(com acento circunflexo).