|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

OMS

Declarada emergência global de saúde devido a epidemia de Ébola na RD Congo

17 jul, 2019 - 19:04 • Redação

Organização Mundial de Saúde reconhece que há uma falha no fornecimento de uma vacina contra o vírus do Ébola.

A+ / A-

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou esta quarta-feira emergência internacional devido à epidemia de Ébola na República Democrática do Congo (RD Congo).

A ocorrência de casos da doença na cidade de Goma, uma das maiores do país, e no vizinho Uganda levaram a OMS a lançar o alerta global.

O diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diz que nenhum país deve encerrar as suas fronteiras ou implementar restrições a viagens ou a trocas comerciais devido a esta emergência internacional.

A Organização Mundial de Saúde reconhece que, neste momento, faltam vacinas contra o vírus do Ébola, fabricada pelo laboratório Merck, e defende um trabalho conjunto entre os Estados-membros e os laboratórios para aumentar a produção do fármaco.

O que é o ébola? Explica-me como se eu tivesse cinco anos
O que é o ébola? Explica-me como se eu tivesse cinco anos

As autoridades de saúde detetaram, no fim de semana, o primeiro caso de Ébola na cidade de Goma, onde vivem mais de dois milhões de pessoas.

De acordo com a agência Associated Press, o primeiro caso confirmado em Goma, que faz fronteira com o Ruanda, é um pastor que esteve na cidade de Butembo.

Esta confirmação marca uma escalada no surto de Ébola na República Democrática do Congo, que começou em agosto do ano passado e é já o segundo mais mortífero da história.

Mais de 1.600 pessoas morreram na zona leste do Congo quando o vírus se espalhou em zonas demasiado perigosas para o acesso das equipas de saúde.

O combate à epidemia de Ébola na RDCongo tem sido dificultado pela presença de um conflito armado nas principais áreas afetadas, assim como por uma desconfiança da população na intervenção médica.

A doença, que pode atingir uma taxa de mortalidade de 90% caso não seja tratada com brevidade, provocou 1.647 mortos, 1.553 dos quais confirmados em laboratório, em menos de um ano, tornando-se na segunda epidemia mais mortífera da história, apenas atrás daquela que atingiu a África Ocidental em 2014.

O vírus do Ébola transmite-se através do contacto direto com sangue ou fluídos corporais contaminados e provoca uma febre hemorrágica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sasuke Costa
    18 jul, 2019 12:36
    Será que a França tem a verdadeira dimensão da sua responsabilidade? Moçambique é neste momento um jardim, a terra estava a morrer, Angola tem de resistir ao aliciamento “ Todavia, apesar da produtividade dos processos tradicionais de cultivo, a indústria de desenvolvimento tenciona substitui-los por regimes agrícolas intensivos. Uma das razões é os lavradores tradicionais não estarem dispostos a cultivar os produtos de exportação - cash crops (qv) -,que fornecem aos países do terceiro mundo as divisas necessárias para importar mercadorias ocidentais. Outra é que a agricultura tradicional não constitui um mercado para os grandes investimentos de capitais- tratores, pesticidas, barragens, etc. - que a indústria de desenvolvimento está equipada para vender.” Circulo dos leitores, Relatório Terra, deposito legal 27 562/89