A+ / A-
​EUA

Congressistas respondem a Trump. “Esta é a agenda dos nacionalistas brancos”

16 jul, 2019 - 01:44 • Redação

Alexandria Ocasio-Cortez, Ayanna Pressley, Ilhan Omar e Rashida Tlaib garantem que vão continuar a contestar as políticas do Presidente norte-americano, que as convidou a “voltar para os seus países”.
A+ / A-

Veja também:


As quatro congressistas alvo de ‘tweets’ racistas do Presidente norte-americano deram esta segunda-feira uma conferência conjunta de resposta a Donald Trump.

Alexandria Ocasio-Cortez, Ayanna Pressley, Ilhan Omar e Rashida Tlaib garantem que vão continuar a contestar as políticas anti-imigração de Trump, que as convidou a “voltar para os seus países”.

A congressista Ilhan Omar, uma norte-americana natural da Somália, afirmou que o Presidente dos Estados Unidos defende “a agenda dos nacionalistas brancos”.

Os olhos da História estão a olhar para nós, afirmou Ilhan Omar, que mais uma vez denunciou a operação de deportações em massa e “violações dos direitos humanos na fronteira”.

Alexandria Ocasio-Cortez garantiu que nunca vai abandonar aquilo que ama, numa referência aos Estados Unidos. Continuará a lutar contra as políticas anti-imigração de Trump e para construir um país menos desigual.

“A primeira coisa que quero dizer às crianças do nosso país é, independentemente do que disser o Presidente, este país pertence-vos e pertence a todos. Hoje e durante o fim de semana essa ideia foi desafiada”, lamentou a congressista natural de Nova Iorque.

Ayanna Pressley tomou a palavra para acusar Trump de tentar criar uma manobra de diversão.

“Não mordam o isco. Isto é simplesmente uma rutura e uma distração do caos insensível e da cultura corrupta da sua administração, até ao fim”, afirma.

Ayanna Pressley desvaloriza os esforços do Presidente para “marginalizar e silenciar” as quatro congressistas, que chegou a apelidar de “esquadrão”.

“O nosso esquadrão é grande. O nosso esquadrão inclui qualquer pessoa empenhada em construir um mundo mais justo e igual”, declarou a congressista.

Na conferência de imprensa desta segunda-feira, Ilhan Omar e Rashida Tlaib voltar a pedir que Donald Trump seja destituído do cargo.

Depois de durante o fim de semana ter “convidado” as quatro congressistas democratas a “voltaram para os seus países”, o Presidente norte-americano voltou esta segunda-feira à carga.

“Se não estão felizes nos Estados Unidos, se estão sempre a queixar-se, é muito simples: podem ir-se embora”, declarou Trump perante uma plateia de empresários, na Casa Branca.

Mitt Romney foi uma das poucas vozes do Partido Republicano a criticar Donald Trump abertamente.

“Os comentários do Presidente foram destrutivos, humilhantes e de desunião”, declarou o senador.

“O Presidente dos Estados Unidos tem uma voz única e nobre para unir o povo americano - de todas as diferentes raças, cores e origens. A esse respeito, o Presidente falhou gravemente. As pessoas podem discordar sobre políticas e política, mas dizer a cidadãos americanos para voltarem para o sítio de onde vieram é ultrapassar o limite”, sublinhou Mitt Romney.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.