Roque da Cunha: “Estamos a aproximarmo-nos da tempestade perfeita” na Saúde

27 jun, 2019 - 00:00 • Eunice Lourenço (Renascença) e Helena Pereira (Público)

Jorge Roque da Cunha aponta o dedo a António Costa, acusando-o de fragilizar propositadamente os médicos do sector público e com isso facilitar a vida ao sector privado. O secretário-geral do Sindicato Independente de Médicos diz que os privados “estão a crescer como nunca” com a “geringonça” e alerta para maior falta de médicos no SNS no futuro imediato.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.