A+ / A-

Dezenas de igrejas alemãs atacadas e incendiadas em dois meses

26 jun, 2019 - 17:38 • Ângela Roque

A denúncia é feita pelo Observatório sobre Intolerância e Discriminação contra os Cristãos, que contabilizou 30 incidentes violentos entre o início de abril e o início de junho.
A+ / A-

No espaço de apenas 60 dias pelo menos 30 igrejas foram atacadas na Alemanha. Assaltos, roubos e incêndios intencionais são algumas das situações referidas no relatório do Observatório sobre Intolerância e Discriminação contra Cristãos, que a Fundação AIS divulgou esta quarta-feira.

O documento admite que em muitos casos os incidentes foram “motivados simplesmente por dinheiro”, mas devem, ainda assim, ser “motivo de preocupação”, porque ao optarem por atacar igrejas, os “vandâlos e ladrões” mostram uma “profunda falta de respeito, se não ódio, por lugares de culto”.

Entre os incidentes mais graves relatados pelo Observatório está o que atingiu a igreja de São Nicolau, em Ankum, provocado por jovens, e que ficou registado nas imagens das câmaras de segurança. Ocorreu no dia 1 de junho, mas já antes, a 19 de Maio, tinha havido outro incidente grave, quando desconhecidos apedrejaram uma janela da Igreja Católica da Santíssima Trindade, em Grossholbach, tendo de seguida invadido o templo, vandalizado o espaço e roubado vários objetos sagrados. A 14 de abril também a igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Dillenburg, foi assaltada.

Para os autores do relatório, estes incidentes na Alemanha revelam uma tendência crescente de “hostilidade para com as comunidades cristãs na Europa”, lembrando que jJá em maio do ano passado o Relatório anual publicado pelo Observatório sobre a Intolerância e Discriminação contra os Cristãos apontava para mais de 500 casos de intolerância, incluindo 155 crimes de ódio contra os cristãos, em 18 países europeus.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Cardoso
    16 jul, 2019 Marinha Grande 16:11
    O ataque às igrejas deve-se à crescente presença muçulmana.
  • Antonio Martins martins
    26 jun, 2019 Lagoa 23:11
    Perdoai-lhes Senhor que eles não sabem o que fazem...Porrada neles!