A+ / A-

A330neo. TAP garante não haver riscos associados aos novos aviões da Airbus

25 jun, 2019 - 09:34 • Redação

Vários voos registaram situações de má disposição, enjoos e vómitos entre tripulantes e passageiros.

A+ / A-

A TAP garante que não há qualquer risco associado aos novos aviões A330neo da Airbus. Em comunicado, a transportadora admite que recebeu relatos de "casos pontuais de tripulantes" que sentiram ligeiras indisposições a bordo daqueles aviões.

A companhia diz ter comunicado de imediato a situação à Airbus que já realizou uma reunião com áreas técnicas da transportadora aérea e com os Sindicatos de Pilotos e dos Tripulantes de Cabina, de forma a partilhar com total transparência os dados disponíveis.

Os testes já realizados - tanto pela TAP, como pela Airbus - não permitem estabelecer qualquer relação entre estes episódios e uma eventual deficiência na circulação e renovação de ar.

"Nos vários testes realizados pela Airbus, no chão e em voo, quanto a possíveis fontes de desconforto, como fluxo e distribuição de ar ou controlo de temperatura, os resultados obtidos foram de total conformidade. A experiência e conforto relativamente à circulação do ar no A330neo é igual à da anterior geração A330", pode ler-se no texto.

Em relação a terem sido detetados “alguns odores provenientes do equipamento dear condicionado, é um fato considerado normal em aeronaves novas e que desaparece logo após as primeiras utilizações. Todas as analises feitas pela AIRBUS com o apoio de laboratórios independentes indicam que os parâmetros de qualidade do ar estão dentro do normal na indústria”.

Segundo a notícia avançada pela TSF, a má disposição e vómitos obrigam a investigar novos aviões da TAP.

Fonte oficial da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) apenas confirma ter recebido relatos de ocorrências dentro destas aeronaves da TAP, estando a trabalhar com a empresa para perceber a origem dos problemas.

Os relatos feitos à ANAC foram, por sua vez, como é normal, encaminhados para a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) que avalia (e certifica) a segurança dos aviões no espaço aéreo europeu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.