A+ / A-
Pavel Horvath

Koubek, o guarda-redes "sem medo". "Está preparado para a grandeza do FC Porto"

24 jun, 2019 - 18:15 • José Pedro Pinto

Garantia do antigo médio checo, compatriota do guardião do Rennes. Horvath, que passou pelo Sporting, destaca em Bola Branca as principais qualidades do alvo dos dragões para a sucessão de Casillas.
A+ / A-

Garantindo o concurso de Tomas Koubek junto do Rennes, o FC Porto estará a assegurar um guarda-redes temerário entre os postes, com capacidade de liderança e, acima de tudo, pronto para a dimensão de um grande que luta por campeonatos e boas prestações na Europa do futebol.

Quem o afirma, sem reservas, é Pavel Horvath. O antigo médio checo, compatriota de Koubek, aprova, em Bola Branca, a aposta determinada dos dragões quanto à sucessão de Iker Casillas.

"É um guarda-redes sem medo, que tem sempre vontade de ganhar. Disso tenho a certeza", começa por dizer Horvath, que representou o Sporting entre 2000 e 2001.

"Ele está preparado para a grandeza do FC Porto", assegura, destacando as principais qualidades de um guardião sólido quer do ponto de vista físico - 1,97 metros de altura -, quer emocional.

"Sabe comunicar com a defesa e diz à equipa como precisa de formar a defesa. Outra coisa: joga muito bem com os pés. Tanto com o direito como com o esquerdo. Não tem problemas nesse aspeto", completa Horvath, hoje treinador, de 44 anos.

Koubek, de 27 anos, internacional pela República Checa, é um "dossier" que o FC Porto pretende fechar o quanto antes, para assegurar a transição da mais do que provável retirada dos relvados de Casillas. A confirmar-se o negócio com os vencedores da última Taça de França, Koubek custará cerca de cinco milhões de euros aos cofres dos vice-campeões nacionais.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.