|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Trump chegou a ordenar ataque contra Irão, mas recuou

21 jun, 2019 - 10:04 • Redação com agências

Operação já estava em curso, ainda numa fase inicial, quando foi cancelada, acrescenta uma autoridade do governo. Ainda assim, os aviões já estavam no ar e os navios em posição.

A+ / A-

Os Estados Unidos prepararam-se para um ataque militar contra o Irão na quinta-feira à noite, em resposta ao abate de um drone norte-americano por forças iranianas, mas a operação acabou por ser cancelada. A informação está a ser avançada pelo jornal norte-americano "The New York Times".

De acordo com o jornal, os alvos seriam radares e baterias de mísseis.

A operação já estava em curso, ainda numa fase inicial, quando foi cancelada, acrescenta uma autoridade do governo. Ainda assim, os aviões já estavam no ar e os navios em posição, mas nenhum míssil chegou a ser disparado. O ataque estaria marcado para acontecer ainda antes do amanhecer desta sexta-feira no Irão, de maneira a minimizar os riscos — quer para os militares, quer para os civis.

De acordo com a Associated Press, os ataques cancelados foram recomendados pelo Pentágono e estavam entre as propostas apresentadas por altos funcionários da administração. Já o jornal refere que não é certo se Donald Trump mudou de opinião relativamente aos ataques ou se a administração mudou de estratégia. O "The New York Times" admite ainda que os ataques podem ainda vir a realizar-se.

O diferendo entre os Estados Unidos e o Irão é longo e a crispação está a aumentar desde que o Presidente Donald Trump retirou os Estados Unidos, há um ano, do acordo nuclear internacional assinado, em 2015, entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança – Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China –, mais a Alemanha, e o Irão, restaurando sanções devastadoras para a economia iraniana.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.