A+ / A-
Valdo

Valdo aconselha Félix a saltar mais alto que o Atlético de Madrid

17 jun, 2019 - 12:45 • José Pedro Pinto

Antigo internacional brasileiro, considera que pagar 120 milhões de euros por Félix "não é nenhum absurdo. Valdo torce o nariz ao Atlético de Madrid e em Bola Branca afirma: Félix é campeão e merece um clube campeão.
A+ / A-

Quando Valdo abre os jornais e vê que o Benfica só aceita negociar João Félix pelos 120 milhões de euros inscritos na cláusula de rescisão, vêm-lhe dois exemplos à memória para concordar com a cifra astronómica.

"O Manchester United pagou 120 milhões de euros pelo Pogba. O Barcelona pagou 180 milhões pelo Coutinho", recorda o antigo internacional brasileiro, bicampeão pelo Benfica no final dos anos 80 e início dos anos 90.

Por isso, quando confrontado por Bola Branca, Valdo não tem dúvidas. "Eu acho que é valor que tem de ser. Não é nenhum absurdo", enfatiza.

Valdo defende destino maior do que o Atlético

Mas há algo que Valdo deseja para o futuro imediato de João Félix, sempre e quando se confirme que deixa a Luz este verão. O Atlético de Madrid está a ser colocado na "pole position" na corrida pelo avançado, mas o brasileiro torce o nariz ao Wanda Metropolitano como eventual destino. Félix é campeão e merece um clube campeão.

"O que espero é que, se sair do Benfica, saia para um clube da dimensão do Real Madrid, Barcelona, Juventus ou Manchester City. O João Félix tem de sair de um clube campeão e ir para um clube campeão", sublinha Valdo, preconizando um "futuro brilhante" ao avançado de 19 anos, já internacional português. A sair da Luz, João Félix erguerá bem alto o símbolo do Benfica e também de Portugal. Isto porque faz já parte da nova "geração de ouro" da seleção nacional.

"Quando se junta, na seleção portuguesa, Félix, Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva, que é um jogador extraordinário, a seleção portuguesa voltou a ter uma geração de ouro. E se o momento do João Félix for agora - não sei se é - o que posso dizer é que se a oportunidade aparecer e o clube der prazer ao João Félix para desenvolver o seu futebol, o negócio tem de ser feito. Nunca se sabe o que nos reserva o amanhã. Se for bom para todos, o João Félix vai elevar o nome do Benfica e de Portugal cada vez mais alto", remata.

Os "momentos impressionantes" do Benfica de Lage que até em África deram que falar

Ex-selecionador do Congo, Valdo continua por África e foi lá que viu a forma, com futebol atrativo e eficaz, com que o Benfica passou a jogar com a saída de Rui Vitória e a entrada de Bruno Lage, a partir de janeiro. Rumo ao 37, tudo impressionou: a envolvência coletiva mas também a "explosão" de Félix e Ferro e o renascimento de Rafa Silva, sublinhado em Bola Branca por Valdo.

"O Benfica teve momentos impressionantes. Estou em África e, quando passavam aqui jogos do Benfica, as pessoas ficavam impressionadas. Quando vemos um miúdo como o João Félix fazer o que faz, com personalidade e autonomia. Quando vemos o Ferro, quando vemos o Rafa Silva. Esta época foi o grande despertar do Rafa Silva. Já é o Rafa Silva que conhecíamos do Braga. Isso é tudo fruto do trabalho do seu líder em campo, o Bruno Lage. Tenho a certeza que no futuro, o Benfica vai continuar dentro da mesma filosofia de trabalho. O Bruno Lage provou que é um grande treinador mas acima de tudo um grande líder de homens", elogia.

"Após a entrada do Bruno Lage, o Benfica ganhou muito mais dinâmica, agressividade, sufocava os adversários. Nos primeiros 20 minutos de jogo, o Benfica tinha quase o resultado garantido, independentemente do adversário. O trabalho do Bruno Lage não é tanto o que ele fez na equipa principal mas sim na formação. Quando lança os jogadores que lançou, ele mais do que ninguém sabia o que poderia retirar deles e o limite de cada um", enfatiza Valdo, que não se esquece da "grande aposta" de Luís Filipe Vieira que, a seu ver, foi "um grande passo".

"O Benfica teve grandes momentos com o Rui Vitória mas com a chegada do Bruno Lage, a equipa ganhou muito mais volume de jogo, mais em direção à baliza e um jogo em que todos marcam e todos defendem. Assim, as coisas tornam-se mais fáceis para a equipa e muito mais bonito para os adeptos", conclui.

Bola Branca entrevista Luís Filipe Vieira. "O Benfica nunca quis formar para vender"
Bola Branca entrevista Luís Filipe Vieira. "O Benfica nunca quis formar para vender"

legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.