|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Autarca de Mondim de Basto defende reabertura de lojas dos CTT em todos os concelhos

12 jun, 2019 - 23:26 • Vítor Mesquita, com redação

Em declarações à Renascença, Humberto Cerqueira reage ao anúncio de que os CTT vão suspender encerramentos e reabrir postos em alguns concelhos.

A+ / A-

O presidente da Câmara de Mondim de Basto, Humberto Cerqueira, defende a reabertura de lojas em todos os 33 concelhos que perderam a estação dos CTT.

Em declarações à Renascença, Humberto Cerqueira reage ao anúncio desta quarta-feira do presidente do conselho de administração dos CTT, João Bento, de que a empresa vai suspender encerramentos e reabrir postos em alguns concelhos.

O autarca espera que Mondim de Basto seja um dos municípios abrangidos e deixa um aviso: “se há uma reabertura [de postos dos CTT] e essa intenção, ficará a pergunta: se reabrirem nuns locais por que não o farão nos outros? Aí contarão com outra luta no sentido da reabertura total em todos os concelhos em que encerraram”.

Humberto Cerqueira considera que a reabertura de postos dos CTT é uma boa notícia e, “no fundo, é a empresa a admitir o erro”.

“A imagem da empresa saiu prejudicada deste processo e, se isso acontecer, ficamos satisfeitos e será feita justiça”, afirma o autarca de Mondim de Basto.

“Se os CTT admitem agora a reabertura das lojas nos concelhos ondem encerraram, naturalmente que é uma boa notícia. O atual ministro do Equipamento já deu a indicação de que o próximo Governo terá isso em conta e, no próximo caderno de encargos da concessão do serviço postal, irá constar a obrigatoriedade de pelo um posto dos CTT em cada concelho”, sublinha.

O autarca lamenta o “prejuízo” que o encerramento do posto dos Correios “causou à população, até pela questão simbólica”.

“Sendo os CTT a empresa que tem o monopólio da distribuição postal não faz sentido absolutamente nenhum que encerrem as lojas em concelhos como Mondim de Basto, em que a presença física e institucional da empresa é importante até para a própria dignidade do concelho e do acesso das pessoas ao serviço postal”, sustenta.

Também ouvido pela Renascença, o presidente da Câmara de Vila de Rei, Ricardo Aires, fala numa “questão de justiça” e acredita que o concelho vai ser um dos comtemplados. Vila de Rei perdeu a estação dos Correios e conta atualmente com um posto com menos serviços.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.