A+ / A-
Lisboa

Uma hora só para tirar senha. Filas no Instituto da Mobilidade e Transportes não acabam

12 jun, 2019 - 11:16 • João Cunha

Governo tentou combater as filas de espera em Lisboa e, desde o início de junho, parte dos serviços habitualmente realizados pelo IMT passaram a ser feitos noutros locais.
A+ / A-

O cenário continua a ser igual todos os dias. De madrugada, horas antes da abertura de portas da Direção Regional de Lisboa do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) há já longas filas de utentes que necessitam de recorrer aquele serviço. O cenário continua a ser igual, apesar de terem sido introduzidas medidas para resolver a situação.

Desde o início deste mês que parte dos serviços habitualmente realizados pelo IMT passaram a ser feitos exclusivamente em Lojas e Espaços do Cidadão, por exemplo, renovar, pedir segunda via ou substituir a carta de condução.

No entanto, à porta do IMT em Lisboa, as filas - com centenas de pessoas - são tão grandes que muitas vezes leva-se pelo menos uma hora a entrar no edifício, às 9h00, para retirar uma senha. E seguem-se depois mais algumas horas para conseguir aceder aos serviços.

Esta quarta-feira de manhã, a fila estendia-se pela Avenida Elias Garcia, pela 5 de Outubro e até ao cruzamento com a Avenida Visconde Valbom.

A reportagem da Renascença constatou que na fila estão pessoas que querem pedir uma carta de condução portuguesa através de uma carta estrangeira, averbamentos de alterações em veículos, cancelamento de matriculas ou resolver problemas com leituras de tacógrafos, cartas de pesados e licenças para conduzir veículos da Uber ou da Cabify.

A partir de meados de julho, quando for inaugurada a nova loja do cidadão do Saldanha, no Mercado 31 de Janeiro, em Lisboa, outros serviços do IMT vão ser transferidos para aqueles espaços. Na expectativa que deixem de estar centenas de pessoas, todas as manhãs, numa fila à porta.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.