A+ / A-

Marcelo condecora forças militares destacadas na República Centro-Africana

08 jun, 2019 - 21:29

A condecoração ocorre no âmbito das comemorações do 10 de junho.

A+ / A-

O Presidente da República vai condecorar, na segunda-feira, no âmbito das comemorações do 10 de junho, em Portalegre, as quatro Forças Nacionais Destacadas (FND) na República Centro Africana (RCA) em missão ao serviço das Nações Unidas.

"O Presidente da República irá impor quatro medalhas de ouro de serviços distintos, nos respetivos estandartes nacionais das primeiras quatro FND na República Centro-Africana em missão de estabilização multidimensional integrada das Nações Unidas (MINUSCA)", refere uma nota enviada à agência Lusa por Belém.

Em Portalegre, o chefe de Estado vai condecorar a primeira das forças nacionais que esteve na República Centro-Africana entre 17 de janeiro e 04 de setembro de 2017; a segunda, entre 04 de setembro de 2017 e 05 de março de 2018; a terceira, entre 05 de março e 05 de setembro de 2018; e a quarta, entre 06 de setembro de 2018 e 11 de março de 2019.

As comemorações do Dia de Portugal começam no domingo, em Portalegre, com uma cerimónia de içar da bandeira nacional, e terminam em Cabo Verde, onde o Presidente da República e primeiro-ministro estarão entre segunda e terça-feira.

Na segunda-feira de manhã, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, preside à Cerimónia Militar Comemorativa do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, em Portalegre, onde fará o seu primeiro discurso no 10 de Junho, na presença do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e do primeiro-ministro, António Costa.

Antes, haverá uma intervenção do presidente da comissão organizadora desta edição das comemorações do Dia de Portugal, o jornalista João Miguel Tavares, que é natural de Portalegre.

Nesta cerimónia, também estará presente o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e no desfile militar haverá uma representação cabo-verdiana a participar juntamente com as Forças Armadas Portuguesas.

A seguir, Marcelo Rebelo de Sousa viajará para a Cidade da Praia com o primeiro-ministro, António Costa, e com o Presidente de Cabo Verde, onde falará perante representantes da comunidade portuguesa neste país, que é composta, no total, por cerca de 21 mil pessoas, dispersas por várias ilhas cabo-verdianas.

O arranque oficial das comemorações do Dia de Portugal será no domingo de manhã, com o içar da bandeira nacional junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, em Portalegre. Depois, o chefe de Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas irá visitar as atividades militares complementares.

No dia 09 de junho, Marcelo Rebelo de Sousa terá ainda um almoço com o corpo diplomático acreditado em Portugal, no Convento de Santa Clara, e à tarde irá ao Museu de Tapeçaria de Portalegre.

As comemorações do Dia de Portugal terminam com uma receção à comunidade portuguesa, num hotel do Mindelo, na terça-feira ao fim do dia.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro regressa a Portugal e o Presidente da República viaja para a Costa do Marfim para uma visita de Estado.

Em 2016, ano em que tomou posse como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa lançou um modelo inédito de comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, acertado com o primeiro-ministro, António Costa, em que as celebrações começam em território nacional e se estendem a um país estrangeiro com comunidades emigrantes.

Nesse ano, o Dia de Portugal foi celebrado entre Lisboa e Paris. Em 2017 as comemorações foram no Porto e nas cidades brasileiras do Rio de Janeiro e São Paulo. E em 2018 dividiram-se entre Ponta Delgada, nos Açores, e as cidades de Boston, Providence e New Bedford, na Costa Leste dos Estados Unidos da América. Neste ano, decorrem em Portalegre e em Cabo Verde.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.