A+ / A-
Ataque a Alcochete

Supremo Tribunal mantém Mustafá em prisão preventiva

06 jun, 2019 - 15:57 • Lusa

Defesa do líder da Juventude Leonina tinha bedido "habeas corupus", , no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting.
A+ / A-

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) indeferiu, esta quinta-feira, o pedido de libertação imediata, "habeas corpus", de Nuno Vieira Mendes, mais conhecido por Mustafá, que assim se vai manter em prisão preventiva no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting.

A defesa do líder da claque Juventude Leonina considerou "ilegal" a prisão preventiva decretada pelo Tribunal da Relação de Lisboa (TRL), no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting, em Alcochete, a 15 de maio de 2018, e avançou, na semana passada, com um pedido de libertação imediata.

A 17 de maio, Mustafá, um dos 44 arguidos neste processo, entregou-se no posto da GNR da Charneca da Caparica, concelho de Almada, após o TRL ordenar a sua prisão preventiva, dando provimento a um recurso da procuradora do Ministério Público Cândida Vilar.

Mustafá estava em liberdade com apresentações diárias às autoridades e obrigado a pagar uma caução de 70.000 euros. Cândida Vilar discordou do facto de o arguido ter saído em liberdade, a 15 de novembro de 2018, após primeiro interrogatório judicial.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.