|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Caso Mayorga. Acusação de violação contra Cristiano Ronaldo passou para Tribunal Federal

05 jun, 2019 - 10:04 • Redação

A Renascença confirmou que a acusação foi retirada do Tribunal do Nevada. No entanto, de acordo com o portal "Maisfutebol", o processo não terá ficado por aí.

A+ / A-

A queixa de violação da norte-americana Katheryn Mayorga contra Cristiano Ronaldo foi retirada do Tribunal do Nevada, contudo, terá sido apresentada no Tribunal Federal dos Estados Unidos, de acordo com o "Maisfutebol".

A Agência Bloomberg avançou, esta quarta-feira, que há cerca de um mês foi publicado no Tribunal do Nevada um documento em que se dava conta da desistência. A Renascença confirmou junto do tribunal que a professora, de 35 anos, entregou o pedido a 8 de maio.

Contudo, o caso não terá ficado por aí, visto que Mayorga terá apresentado queixa idêntica no Tribunal Federal.

"Caso Mayorga" remonta a 2009

Em outubro de 2018, a polícia de Las Vegas reabriu a investigação sobre as acusações de violação. O caso remonta a 13 de junho de 2009, durante uma festa num hotel, tendo o jogador negado a acusação.

À data, a queixosa denunciou a presumível violação à polícia de Las Vegas e foi submetida a um exame médico.

Numa entrevista, Katheryn afirmou que jogador a terá forçado a fazer sexo na casa de banho da suite em que estava hospedado em Las Vegas, quando se transferiu do Manchester United para o Real Madrid.

Cristiano Ronaldo conheceu-a na discoteca do Palms Hotel and Casino, onde a mulher trabalhava. Mayorga era modelo e o seu trabalho, na altura, era estar com outras mulheres à frente de bares para atrair clientes. Nessa noite, Ronaldo terá convidado a mulher, uma amiga e outras pessoas para continuar a festa na moradia onde estava hospedado.

A mulher continua a descrever a noite, dizendo que Ronaldo lhe ofereceu roupas para poder ir para o seu jacuzzi. Quando foi trocar de roupa à casa de banho, o jogador terá entrado sem autorização.

Mayorga afirmou que, três meses depois, decidiu assinar um acordo de confidencialidade com Ronaldo e recebeu 375 mil dólares (cerca de 325 mil euros) em troca do seu silêncio.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.