Tempo
|
A+ / A-

Central elétrica do Pego, a carvão, fecha em 2022

24 mai, 2019 - 16:21 • Pedro Mesquita

O anúncio foi feito no dia das greves dos estudantes pelo clima, mas não vai ao encontro de todas as reivindicações. Para fechar Sines também antes do prazo previsto seria preciso melhorar resultados das renováveis.

A+ / A-

Em dia de manifestações pelo clima, o ministro do Ambiente anuncia o encerramento da Central de Produção de Eletricidade a Carvão do Pego para 2022.

A reivindicação dos estudantes era o encerramento imediato da central do Pego e de Sines mas, em entrevista à Renascença, Matos Fernandes explica que tal decisão resultaria, de momento, num apagão de vários dias, a sul do Tejo.

Assim, a Central de Carvão do Pego deve encerrar até 2022. A de Sines também pode encerrar antes do previsto, mas para isso é preciso grandes resultados na produção de eletricidade com base em fontes renováveis.

O ministro do Ambiente sublinha, contudo, que a proteção do ambiente é, provavelmente, a causa mais justa para uma manifestação dos jovens portugueses.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.