Tempo
|
A+ / A-

EUA

Pentágono disponibiliza 1.500 milhões de dólares para muro na fronteira com o México

10 mai, 2019 - 22:47 • Redação com Lusa

O secretário de Defesa interino norte-americano, Patrick Shanahan, explicou que os fundos serão utilizados para a construção de cerca de 130 quilómetros do muro.

A+ / A-

O secretário de Defesa interino dos EUA aprovou esta sexta-feira 1.500 milhões de dólares (1.335 milhões de euros) para a construção do muro na fronteira com o México, garantindo que não vão ser destinados mais fundos do Pentágono para o projeto.

Patrick Shanahan explicou que os fundos serão utilizados para a construção de cerca de 130 quilómetros do muro e reconheceu que 604 milhões de dólares (537 milhões de euros) da verba total têm origem em fundos que o Pentágono tinha previsto utilizar na ajuda às Forças Armadas do Afeganistão.

“Não vou desviar mais dinheiro para o muro fronteiriço”, afirmou o secretário de Defesa interino, depois de ser questionado se deixava em aberto a possibilidade de continuar a disponibilizar fundos para um projeto da Casa Branca que não tem apoio do Congresso.

O Presidente norte-americano, o republicano Donald Trump, tem pedido ao Congresso autorização para o financiamento da construção de um muro ao longo da fronteira com o México, mas a maioria Democrata na Câmara dos Representantes negou-lhe essa possibilidade, o que o levou a declarar estado de emergência para alocar dinheiro do Departamento de Defesa para erguer o muro.

Em março, Patrick Shanahan autorizou uma verba de 1.000 milhões de dólares (cerca de 890 milhões de euros) para a construção de 92 quilómetros de muro, de 5,5 metros de altura, em Yuma (Arizona) e El Paso (Texas), na fronteira com a Cidade de Juárez (México).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.