Tempo
|
A+ / A-

Estados Unidos apreendem navio de carga da Coreia do Norte

09 mai, 2019 - 18:08 • Filipe d'Avillez Com Reuters

Washington diz que o navio mercante "Wise Honest" foi usado para violar as sanções impostas a Pyongyang.

A+ / A-

Leia também:


Os Estados Unidos anunciaram esta quinta-feira a apreensão de um navio de carga norte-coreano por alegadamente ter participado na exportação ilegal de carvão daquele país asiático, em violação das sanções impostas pelos norte-americanos a Pyongyang por causa do seu programa nuclear.

O "Wise Honest", nome de batismo do navio de carga, foi confiscado pelas autoridades indonésias nas suas águas territoriais em abril de 2018, por diversas irregularidades de documentação e depois de ter revelado “comportamentos erráticos”, saindo das principais vias de navegação e entrando em águas indonésias.

Os seus porões estavam cheios com 25,5 mil toneladas de carvão, alegadamente vindo de Vladivostok, na Rússia, avaliado em cerca de 2,7 milhões de euros. Segundo o serviço indonésio da "Voice of America", porém, as Nações Unidas acreditam que o carvão era oriundo da Coreia do Norte.

A Indonésia acabou por libertar o carvão e permitir que fosse vendido, uma medida que foi duramente criticada pelas autoridades americanas.

Agora, os Estados Unidos anunciaram que apreenderam o navio de mais de 17 mil toneladas, por este ter violado as sanções impostas à Coreia do Norte. O "Wise Honest" está agora a caminho de águas americanas.

Segundo a Reuters, o navio terá sido usado também para transportar maquinaria pesada para a Coreia do Norte.

Esta é a primeira vez que os Estados Unidos apreendem um navio norte-coreano por violação de sanções. O passo, apontam os analistas, arrisca conduzir a uma escalada da tensão entre os dois países, que durante a presidência de Donald Trump têm estado a ensaiar diálogo no sentido de promover a paz na Península Coreana.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.