|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Leonardo Da Vinci. Fios de cabelo podem trazer novas revelações

02 mai, 2019 - 15:03 • Redação

Desvendar mistérios que ainda contornam a figura e a morte do génio renascentista é o objetivo da dupla de investigadores. Passam hoje 500 anos da morte de Leonardo Da Vinci.

A+ / A-

Um fio de cabelo encontrado de Leonardo Da Vinci numa coleção particular nos Estados Unidos vai permitir que dois cientistas italianos analisem o ADN do pintor e resolvam algumas das “controvérsias sobre os restos mortais de Da Vinci”.

“Esta relíquia histórica, há tempos escondida numa coleção americana, será exposta pela primeira vez” nesta quinta-feira, dia em que se assinala os 500 anos da morte de Leonardo Da Vinci, refere o diretor do museu Leonardo Da Vinci Heritage Foundation, Alessandro Vezzoni.

A mecha de cabelo será apresentada numa conferência de imprensa na biblioteca Leonardiana e depois exposto no museu Ideale Leonardo Da Vinci, que fica localizado na cidade natal do pintor, Vinci, província de Florença (Itália).

“Essa relíquia é o que precisávamos para tornar nossa pesquisa histórica ainda mais sólida do ponto de vista científico”, afirma Agnese Sabato, presidente do museu Leonardo Da Vinci Heritage Foundation, que, com o diretor do mesmo museu, Alessandro Vezzoni, investiga tudo sobre a vida de Leonardo Da Vinci.

“Para realizar a análise de ADN, vamos compará-la com os descendentes vivos de Leonardo, bem como com os ossos encontrados nas sepulturas de Da Vinci que identificámos nos últimos anos", adiantou.


Em 2016, a dupla anunciou a descoberta de uma linha genealógica interrompida do meio-irmão de Da Vinci, Domenico, e 35 descendentes do génio, todos homens, que moram na região de Toscana, em Itália.

Mas a localização dos restos mortais do Leonardo Da Vinci é controversa. O local original do sepultamento do artista ficava na capela de Saint-Florentin, no vale do Loire, mas, durante a Revolução Francesa, a igreja foi danificada e, em 1808, demolida por Napoleão I.

No entanto, quase 60 anos depois, foram encontrados no local aquilo que supostamente seriam os ossos de Leonardo Da Vinci. Sem evidências substanciais que comprovassem que os restos mortais eram do pintor, os ossos foram removidos e transferidos para a capela do castelo Saint-Hubert, em França.

Leonardo Da Vinci morreu aos 67 anos, em 2 de maio de 1519. Foi anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta, músico, cientista, matemático, engenheiro, inventor e responsável por muitas descobertas importantes para a história da humanidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.