A+ / A-

Mais de mil clientes bancários reclamam à Deco sobre comissões MBWay

02 mai, 2019 - 15:03 • Redação com Lusa

O BPI foi o primeiro banco a cobrar pelas operações na aplicação MBWay, tendo a partir de hoje aumentado as comissões de 16 cêntimos para 1,20 euros.
A+ / A-

Mais de mil pessoas juntaram-se à Deco para reclamar o fim da cobrança de comissões pelas transferências do serviço MBWay, que a partir desta quinta-feira aumentaram para 1,20 euros para os clientes do BPI.

“Já temos mais de 1.000 reclamações” de clientes bancários que se sentem lesados com a cobrança de comissões, disse à Lusa fonte da associação de defesa dos consumidores Deco, no dia em que o banco BPI começou a cobrar comissões pelas transferências MBWay.

Há dois dias, a 30 de abril, numa nota à imprensa, a associação anunciou estar a preparar uma reclamação, em nome dos consumidores, para entregar ao Banco de Portugal a exigir uma “limitação dos custos associados a todas as formas de pagamento e transferências” pelos consumidores.

“Cabe ao Banco de Portugal limitar os encargos aplicados às transferências feitas através do MBWay, já que é esta instituição que valida os preçários dos bancos”, afirma a Deco.

A Deco defende que aplicar comissões ao MBWay, que replica a utilização do Multibanco, "contraria os seus princípios básicos”, razão pela qual defende que a cobrança de comissões não deve ultrapassar os limites dos custos imputados aos comerciantes para pagamentos com cartões (0,2% para os cartões de débito e 0,3% para cartões de crédito).

Com o objetivo de transmitir ao Banco de Portugal o impacto da cobrança de comissões para os utilizadores, a Deco apelou a reclamações dos consumidores, que em menos de dois dias atingiram as mil.

O BPI foi o primeiro banco a cobrar pelas operações na aplicação MBWay, tendo a partir de hoje aumentado as comissões de 16 cêntimos para 1,20 euros.

A Deco disponibiliza no seu ‘site’ um formulário de reclamação dos consumidores junto do regulador.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.