A+ / A-

“Trevo da sorte” em risco de desaparecer

29 abr, 2019 - 10:39 • Redação

É o nome que muitos dão ao trevo de quatro folhas. Os especialistas dizem que está em perigo elevado de extinção.
A+ / A-

O famoso trevo-de-quatro-folhas está em risco de extinção. A conclusão é dos especialistas que estão a elaborar a “Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental”.

A flora vascular integra todas as plantas que, como este trevo, têm vasos destinados especialmente à condução da seiva para alimentar as células.

A Lista está a ser elaborada desde 2016 e conta com a coordenação da Sociedade Portuguesa de Botânica e da Associação Portuguesa de Ciência da Vegetação, conta nesta segunda-feira o jornal “Público”

No trabalho de campo que se impõe, os investigadores constataram “uma forte regressão” do chamado “trevo da sorte”, cujo nome científico é “Marsilea quadrifolia”.

Poluição, barragens e aumento das espécies exóticas invasoras são algumas das razões apontadas para esta regressão, que já começou no século XX.

O trevo-de-quatro-folhas foi avistado, pela última vez, perto de Peso da Régua, mas é um tipo de planta que aparece em locais sujeitos a inundações temporárias, como o rio Douro e outros grandes rios do Centro de Norte de Portugal.

O biólogo André Carapeto diz, contudo, que esta espécie aquática poderá estar “em dormência”, pois é capaz de ficar enterrada no fundo do rio “durante alguns anos”.

O alerta para a iminência da extinção do trevo-de-quatro-folhas não é de hoje. Já em 2004, a Câmara de Peso da Régua se mostrava preocupada e pediu financiamento destinado à preservação e monitorização "Marsilea quadrifolia", uma das plantas aquáticas mais raras da Península Ibérica.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.