|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Marcelo pede “mais ambição” na democracia, na demografia e na economia

25 abr, 2019 - 11:56 • Eunice Lourenço , Susana Madureira Martins

Presidente da República comparou os desafios dos jovens de 1974 com os de agora e disse que é preciso dar respostas aos jovens de 2019.

A+ / A-
Marcelo. O jovem de 74 pede respostas para os jovens de 2019
Marcelo. O jovem de 74 pede respostas para os jovens de 2019

Veja também:


“Mais ambição na democracia, na demografia, no Portugal pós-colonial, na digitalização, num mundo mais sustentável” foi este o pedido do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no discurso com que encerrou a sessão parlamentar comemorativa dos 45 anos do 25 de Abril. O Presidente pediu também uma economia a crescer, a dependência do endividamento a diminuir e mais solidariedade intergeracional.

“Parece um programa impossível?”, perguntou Marcelo. “Talvez, mas a história faz-se sempre de programas, de ideias impossíveis. Portugal é uma impossibilidade com quase 900 anos. Porque haveríamos de ser nós a não acreditar em Portugal”, respondeu o Presidente.

Marcelo Rebelo de Sousa começou o seu discurso a lembrar os jovens de 1974, como ele próprio, os seus anseios e esperanças por democracia, liberdade e desenvolvimento. Nenhum, reconheceu, pode dizer com rigor que viu todos os seus desejos consagrados, mas todos acabaram por ver muito do essencial no seu denominador comum atingido.

O Presidente lembrou também o processo colonial que não foi tão fácil como por vezes parece. “Somos inexcedíveis nesse fazer de conta de que o mais difícil é fácil”, disse Marcelo, prometendo que os jovens de 74 continuam a preferir a democracia mais imperfeita a qualquer perfeita ditadura. Tal como continuam a rejeitar “messianismos de messias impossíveis” e sebatianismos de sebastiões que não voltam.

“Esperamos mais, muito mais da Europa e dos países falantes de português. Não cederemos a xenofobias ou a traumas pós-coloniais. Desejamos muito mais e melhor, mas reconhecemos que valeu a pena o momento fundador”, afirmou o Presidente, para quem agora é preciso olhar e dar resposta aos anseios e esperanças dos jovens de 2019.

“Querem um mundo mais aberto, mais fialogante, mais inclusivo. E querem-no em atos, em gestos diários. Não se conte com eles para fronteiras, interditos de circulação de pessoas, ideias, projetos de vida”, acredita o Presidente, que alertou para a necessidade de a democracia clássica encontrar formas de incluir uma participação cada vez mais digital e com novas formas de interagir, sob pena de ser uma democracia de meras formas, cada vez com menos conteúdo.

O Presidente avisou também que não se conte com os jovens de 2019 para aceitarem “clientelismos”. Para eles, disse, os objetivos gerais e abstratos valem muito pouco quando não são acompanhados de passos cada vez mais rápidos e visíveis em setores como a educação ou a segurança social.

“Os jovens de 2019 querem respostas”, continuou Marcelo. E querem respostas para os problemas demográficos, para as desigualdades que continuam a persistir e até se agravam no território, com novos pobres a juntarem-se a velhos pobres”, e para os desafios que a digitalização traz à economia e ao emprego.

Ao mesmo tempo, continuou Marcelo, é preciso explicar aos menos jovens que há mesmo alterações climáticas e há deveres intergeracionais. “O desafio dos jovens de 2019 é mais global” que os desafios dos jovens de 1974, disse o Presidente que terminou o seu discurso a pedir mais ambição, sem fazer qualquer referência ao fato de este ser uma ano eleitoral

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 26 abr, 2019 10:56
    So uma minoria festeja o 25 abril! Gostam e de aproveitar o feriado!
  • 26 abr, 2019 10:30
    Afinal os coletes amarelos sao uma minoria!