|
A+ / A-

Governo do Sri Lanka culpa radicais islâmicos pelos atentados

22 abr, 2019 - 10:05 • Redação

As investigações revelam que pelo menos sete bombistas suicidas participaram nos ataques do domingo de Páscoa. Esta segunda-feira, a polícia do Sri Lanka encontrou 87 explosivos por detonar numa central de autocarros da capital, Colombo.

A+ / A-

As autoridades do Sri Lanka culpam o grupo jihadista local “National Thowheed Jamath” pelos ataques de domingo de Páscoa, que ainda não foram reivindicados.

Segundo a agência Bloomberg, a informação foi avançada pelo ministro da Saúde, Rajitha Senaratne, porta-voz do executivo do Sri Lanka numa conferência de imprensa que decorreu esta segunda-feira.

O ministro adiantou ainda que o Governo está convencido de que os ataques terão tido o apoio de uma rede internacional

“Não acreditamos que estes ataques tenham sido levados a cabo por um grupo de pessoas confinado a este país”, disse Rajitha Senaratne. “Houve uma rede internacional sem a qual estes ataques não teriam ocorrido”, acrescentou. As forças de segurança continuam as buscas pelos responsáveis.

No domingo, além de vários responsáveis católicos, também o Conselho Mundial de Comunidades Muçulmanas e organizações muçulmanas do Sri Lanka condenaram os ataques.

Polícia encontrou 87 bombas por detonar

Esta segunda-feira, a polícia do Sri Lanka encontrou 87 explosivos por detonar numa central de autocarros da capital, Colombo. A informação é avançada pela agência Reuters, citando um porta-voz das autoridades.

As forças de segurança estão a realizar buscas por toda a ilha para encontrar os responsáveis pelos atentados de domingo de Páscoa. Já foram detidas 24 pessoas. A autoria dos ataques ainda não foi reivindicada.

As investigações feitas até ao momento revelam que pelo menos sete bombistas suicidas participaram nos atentados. Dois deles fizeram-se explodir num hotel de luxo na frente marítima de Colombo, diz o investigador Ariyananda Wellianga, citado pela agência Reuters. Os restantes atacaram três igrejas e dois outros hotéis.

EUA alertam que terroristas estão a planear novos ataques

"Grupos terroristas continuam a planear possíveis ataques no Sri Lanka. Os terroristas poderiam atacar com pouco ou nenhum aviso (…) áreas públicas", alertou o Departamento de Estado norte-americano através da sua embaixada dos Estados Unidos no Sri Lanka.

O Governo dos Estados Unidos indicou como potenciais alvos destes ataques áreas turísticas, centros de transporte, mercados, centros comerciais, instalações governamentais, hotéis, clubes, restaurantes, locais de culto, parques, grandes eventos desportivos e culturais, instituições educacionais e aeroportos.

Esta segunda-feira, as autoridades do Sri Lanka decretaram o recolher obrigatório entre as 20h00 e as 4h00. O Presidente Maithripala Sirisena declarou estado de emergência.

Uma série de explosões no domingo de Páscoa fizeram pelo menos 290 mortos e 500 feridos no Sri Lanka. Uma das vítimas mortais é um cidadão português, de 31 anos, que estava em lua de mel.

Sri Lanka reforça segurança após ataques que fizeram 290 mortos
Sri Lanka reforça segurança após ataques que fizeram 290 mortos

Notícia atualizada às 11h30

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.