A+ / A-

Maduro pede a Portugal para desbloquear fundos retidos no Novo Banco

17 abr, 2019 - 07:04 • Lusa

O Presidente da Venezuela diz que o dinheiro será usado para comprar medicamentos e alimentos.

A+ / A-

O Presidente da Venezuela exortou o Governo português a desbloquear os ativos do Estado venezuelano retidos no Novo Banco, sublinhando que o dinheiro será usado para comprar "todos os medicamentos e alimentos".

"Libertem os recursos [da Venezuela] sequestrados na Europa. Peço ao Governo de Portugal que desbloqueie os 1,7 mil milhões de dólares [cerca de 1,5 mil milhões de euros] que nos roubaram, que nos tiraram" e estão retidos no Novo Banco, afirmou Nicolás Maduro na terça-feira.

Maduro falava numa cerimónia com simpatizantes do regime, por ocasião do 16.º aniversário do programa de assistência social "Misión Barrio Adentro" [Missão no Bairro], transmitido em simultâneo e de maneira obrigatória pelas rádios e televisões do país.

"Com isso [os fundos retidos em Portugal] compraríamos todos os medicamentos (...) sobrariam medicamentos e alimentos na Venezuela. Eu faço um apelo ao Governo de Portugal: desbloqueie esses recursos. Porque nos tiram este dinheiro? É nosso", afirmou.

Nicolás Maduro insistiu ainda que se os Estados Unidos e a Europa querem "realmente ajudar" a Venezuela, então devem desbloquear esses recursos.

"Já que afirmam que querem ajudar a Venezuela, há uma fórmula muito simples. Não têm que tirar um dólar das vossas contas, desbloqueiem todos os recursos económicos que nos roubaram", disse, dirigindo-se ao Presidente norte-americano, Donald Trump, e à Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini.

Em 15 de janeiro último, o parlamento, maioritariamente da oposição, aprovou um acordo de proteção dos ativos da Venezuela no exterior e delegou numa comissão a coordenação e o seguimento de ações que protejam os ativos venezuelanos na comunidade internacional.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel
    17 abr, 2019 Moura 12:35
    Queres o dinheiro para continuares a ter uma vida de luxo e os Venezuelanos a passar fome!