Tempo
|
A+ / A-

Ciclone Idai

Moçambique. Número de mortos por cólera sobe para oito

12 abr, 2019 - 08:20 • Lusa

Cerca de 800 mil pessoas foram vacinadas contra a cólera nos últimos dias.

A+ / A-
Moçambique. Mais de 800 mil já foram vacinados contra a cólera
Moçambique. Mais de 800 mil já foram vacinados contra a cólera

O número de mortos por cólera em Moçambique subiu para oito. O balanço atualizado sobre os efeitos na saúde da passagem do ciclone Idai pelo país foi feito pelo Governo.

De acordo com um comunicado do Ministério da Saúde moçambicano, entre 27 de março e as 7h00 de quinta-feira, foram registados oito óbitos por cólera, metade dos quais no distrito da Beira, um dos mais afetados pelo ciclone.

Os restantes mortos verificaram-se nos distritos de Dondo e Nhamatanda, cada um com dois óbitos.Na Beira, onde houve mais casos de cólera, a maioria dos doentes já teve alta das unidades de saúde - 3.385 de um total de 3.407.

A campanha de vacinação contra a cólera, que decorreu entre 3 e 9 de abril na cidade da Beira e nos distritos de Dondo, Nhamatanda e Buzi, teve uma taxa de cobertura de 98,6 por cento, correspondente a 803.125 pessoas vacinadas, o que superou "a meta preconizada pela Organização Mundial de Saúde" em situação de surto, que "é vacinar no mínimo 80% da população-alvo" para "bloquear a transmissão" da doença.

A vacina cria imunidade aproximadamente uma semana após ter sido tomada e bloqueia a transmissão ao nível do trato gastrointestinal.

A cólera é uma doença que provoca fortes diarreias, é tratável, mas pode provocar a morte por desidratação se não for prontamente combatida. É causada, em grande parte, pela ingestão de alimentos e água contaminados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.