A+ / A-

Bastonário dos Médicos. Segurança clínica "está a ser colocada em causa"

03 abr, 2019 - 09:26

Deficiências não são só ao nível do capital humano, mas também das condições físicas de trabalho, de equipamentos e dispositivos.
A+ / A-

O bastonário da Ordem dos Médicos vai ter uma atitude mais forte porque em muitas unidades de saúde "está a ser colocada em causa" a segurança clínica, ameaçando responsabilizar o Ministério da Saúde pela "insegurança clínica".

"A segurança clínica está a ser posta em causa, por deficiências várias, que começam no capital humano”, afirmou Miguel Guimarães à imprensa no final de uma reunião, em Lisboa, com a ministra da Saúde, Marta Temido.

“E nós temos dito muitas vezes que a principal característica do Serviço Nacional de Saúde são as pessoas. São os profissionais de saúde que fazem a saúde todos os dias, para que os portugueses possam ter melhor qualidade de vida", declarou.

Segundo o bastonário, as deficiências não são só ao nível do capital humano, mas também ao nível das condições físicas de trabalho, de equipamentos e dispositivos.

Por isso, defendeu ser “preciso tomar uma atitude diferente neste domínio", porque "o Estado tem de garantir a segurança dos doentes, tem de garantir aquilo que é o tempo recomendado para a relação médico-doente, para estes poderem expressar aquilo que lhes vai na alma e a sua história clínica. e terem daí uma atitude que seja benéfica para eles."

“[Estas questões] têm a ver com a proteção do doente e têm a ver como uma das coisas que estamos, ou estávamos, ou vamos continuar a estar a negociar, que é o ato médico, com o Ministério da Saúde para proteger o doente", referiu, garantindo: “Mas vamos continuar a insistir, mas responsabilizando, desta vez, o Ministério da Saúde pela insegurança clínica".

O bastonário desejou ainda "boa sorte" aos sindicatos dos médicos para a reunião que têm na quarta-feira com a ministra da Saúde e disse que estes "têm de ser exigentes naquilo são os direitos dos médicos, todos os direitos dos médicos".

A ministra da Saúde tinha convocado no dia 20 de março para hoje a reunião com a Ordem dos Médicos, na sequência de um pedido urgente, garantindo na altura que não havia qualquer desconsideração pela profissão médica como por nenhum grupo profissional da saúde.

A Ordem dos Médicos tinha pedido uma reunião com caráter de urgência à ministra da Saúde, na sequência de atitudes e declarações da tutela que "revelam uma total falta de respeito” e um “nível de desprezo nunca antes alcançado”.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.