A+ / A-

Corrida ao Navegante. Num mês foram vendidos mais 70 mil passes do que há um ano

01 abr, 2019 - 13:38 • Lusa

Presidente da Câmara de Lisboa anunciou ainda o lançamento de um concurso para aquisição de novos elétricos.
A+ / A-

Veja também:


O presidente da Área Metropolitana de Lisboa anunciou esta segunda-feira o lançamento de um concurso de 45 milhões de euros para a aquisição de novos elétricos, salientando que em março foram vendidos mais 70 mil passes Navegante que há um ano.

Numa cerimónia em Setúbal destinada a assinalar a entrada em vigor do passe único na Área Metropolitana de Lisboa, Fernando Medina revelou que, na quarta-feira, a Câmara Municipal vai lançar um concurso público de 45 milhões de euros para a aquisição de 15 novos elétricos articulados que irão fazer a ligação até à Cruz Quebrada, Santa Apolónia, Parque das Nações e, posteriormente, a Loures.

"À crítica dos que respondem que não teremos oferta para responder à procura, a resposta é que os autarcas, em parceria com o Governo, estamos a aumentar a oferta", afirmou.

O autarca de Lisboa apontou como "a melhor prova" da importância da redução do preço dos passes sociais o número de passes vendidos no último mês.

"Só no mês de março, ainda com tanta gente a dizer que não acreditava na medida e com um período pequeno de vendas, o número global de vendas de passes integrados hoje na família Navegante, municipal e metropolitano, aumentou em 70 mil em relação a março de 2018", disse.

Medina fez parte da comitiva do primeiro-ministro que esta manhã viajou entre a Ericeira e Setúbal utilizando os transportes públicos, assinalando o dia em que entra em vigor o passe único da Área Metropolitana de Lisboa.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.