|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Portugal vai acolher 100 refugiados que estão na Grécia

08 mar, 2019 - 17:06 • Agência Lusa

Atualmente, há cerca de 75 mil refugiados a viver naquele país.

A+ / A-

Portugal vai acolher nos próximos meses 100 refugiados que estão na Grécia, no âmbito de um acordo formalizado entre os dois países, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Administração Interna (MAI).

Em comunicado, o MAI adianta que o acordo entre os dois países é o culminar da articulação técnica entre os serviços de asilo grego e português e vem no seguimento do entendimento político obtido na sequência da visita que o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, realizou à Grécia no passado mês de outubro.

Nessa deslocação, Eduardo Cabrita manifestou ao ministro da Política de Migrações, Dimitris Vitsas, a disponibilidade de Portugal acolher até cerca de mil refugiados que se encontram na Grécia, em resposta ao pedido do governo grego.

Segundo o MAI, o acordo bilateral que formaliza todos os procedimentos para esta transferência foi assinado esta semana entre o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (Portugal) e o Serviço de Asilo (Grécia).

O MAI indica que o documento prevê a realização de uma primeira missão de entrevistas a 100 beneficiários e requerentes de proteção internacional que se encontram em campos de refugiados na Grécia e que manifestem vontade de ser transferidos para Portugal.

O processo, que poderá levar ao acolhimento em Portugal de até mil pessoas, já recebeu luz verde da Comissão Europeia e tem vindo a ser acompanhado pela Organização Internacional para as Migrações.

Segundo o Ministério da Política de Migrações, atualmente há cerca de 75 mil refugiados a viver na Grécia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.