|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Volência doméstica. Primeiro-ministro salienta que combate é um desafio coletivo

07 mar, 2019 - 07:28 • Lusa

António Costa publicou duas mensagens no Twitter, no dia em que o país assinala um dia de luto nacional pelas vítimas de violência doméstica.

A+ / A-

O primeiro-ministro afirma que a violência doméstica tem de ter um fim e salienta que o combate a este fenómeno é um desafio coletivo da sociedade e que a evocação das vítimas constitui um começo da ação.

Estas posições constam de duas mensagens publicadas esta quinta-feira por António Costa na rede social Twitter, quando o país assinala um dia de luto nacional pelas vítimas de violência doméstica.

Segundo o primeiro-ministro, "as grandes tragédias exigem-nos a partilha da dor coletiva pelo luto da nação".

"A violência doméstica é uma grande tragédia que assinalamos com o luto nacional, evocando na perda das vidas e no sofrimento das vítimas que não aceitamos viver numa sociedade que silencia e que ignora. A violência tem de ter um fim e este é um desafio coletivo de toda a sociedade e de cada um de nós. Evocar as vítimas é começar a agir", sustenta António Costa nas suas mensagens.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou na sexta-feira passada o decreto do Governo que institui que em 7 de março, esta quinta-feira, se assinale o dia de luto nacional pelas vítimas de violência doméstica.

O dia de luto nacional pelas vítimas de violência doméstica foi proposto ao Conselho de Ministros pela nova titular das pastas Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, e aprovado pelo Governo na passada quinta-feira.

Esta quinta-feira, após participar no debate quinzenal, na Assembleia da República, o primeiro-ministro estará a meio da tarde numa reunião de trabalho do Governo com a comissão técnica multidisciplinar para a melhoria da prevenção e combate à violência doméstica. É a primeira vez que esta comissão se reúne.

Depois, no Palácio Paz, em Lisboa, António fará uma intervenção na cerimónia pública de assinatura de protocolos para o reforço dos gabinetes de atendimento a vítimas de violência de género.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.