|
Francisco Assis-João Taborda da Gama
Um eurodeputado e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver em Lisboa olham para os principais temas da atualidade. Às terças e quintas, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Francisco Assis e João Taborda da Gama - 07/03/2019
Francisco Assis e João Taborda da Gama - 07/03/2019

F. Assis

Violência doméstica. Casas de abrigo são boa iniciativa, mas têm “efeitos perversos”

07 mar, 2019


Comentadores da Renascença debatem este assunto, no dia em que Portugal cumpre luto nacional por estas vitimas.

O eurodeputado socialista Francisco Assis considera necessário mudar a forma como funcionam as casas abrigo nos casos de violência doméstica. O debate surge a propósito do primeiro dia de luto nacional por estas vítimas.

"As casas abrigo são em si mesmo uma boa iniciativa, mas a forma como estão a funcionar acaba por ter muitas vezes efeitos perversos, porque afasta em absoluto as mulheres vítimas de violência doméstica de qualquer tipo de convivência com a sua família e com o seu meio envolvente e isso torna-se, do ponto de visto psicológico insuportável para elas que acabam por não querer avançar para soluções dessa natureza", argumenta o comentador da Renascença.

Já o professor universitário João Taborda da Gama defende a necessidade de haver sinais intransigentes para com este tipo de crimes.

"Este tipo de crimes é tão hediondo que tem uma parte de cultural e a cultura também se muda com sinais intransigentes", diz.

Em três meses, já foram mortas 12 mulheres.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.