|
A+ / A-

Novo bispo auxiliar de Lisboa agradece ao Porto

01 mar, 2019 - 11:00 • Filipe d'Avillez

D. Américo Aguiar cresceu e foi ordenado na diocese do Porto. Agora que foi nomeado bispo auxiliar de Lisboa, fez questão de agradecer à sua terra de origem.

A+ / A-

Leia também:


O novo bispo auxiliar de Lisboa, nomeado esta sexta-feira pelo Papa Francisco, fez questão de enviar uma mensagem de agradecimento à sua diocese de origem.

Criado e ordenado no Porto, D. Américo Aguiar não esquece as suas raízes e diz que deve a esta diocese tudo o que é.

A Renascença publica aqui na íntegra a mensagem do novo bispo, que será ordenado precisamente no Porto, no dia 31 de março.


A minha gratidão à amada diocese do Porto é total. Devo-lhe tudo o que sou.

O nosso Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição merece-me ainda uma especial gratidão, é o seminário que nos “lapida” para a missão. Não esqueço o Pré-Seminário no Bom Pastor. Os meus colegas de curso, os que são padres comigo e os que tomaram outras opções de vida. Os nossos reitores, superiores, prefeitos e “pessoal” da casa… no Senhor Ferreira e na D. Carolina a minha homenagem a todos… que saudades.

Aos senhores Bispos do Porto a minha homenagem e gratidão: a D. Júlio Tavares Rebimbas que me admitiu ao Seminário, a D. Armindo que me ordenou e nomeou seu Vigário Geral, a D Manuel Clemente, a D. António Francisco dos Santos e agora a D. Manuel Linda.

Aos senhores Bispos Auxiliares: a D. João Miranda, que foi nosso Administrador Apostólico, a D. António Carrilho, a D. João Lavrador, a D. Pio Alves, que foi também nosso Administrador Apostólico, a D. António Taipa, meu Reitor e também nosso Administrador Diocesano, e a D. António Augusto, a todos, a minha gratidão.

A todos os irmãos do presbitério portucalense, aos heróis do Antuã ao Ave e do Mar ao Marão… muito obrigado, sois uma bênção.

À Paróquia de Leça do Balio, ao meu Pároco, Padre Pedro, nunca conheci outro como meu Pároco e foi ele que me batizou. Ao Agrupamento de Escuteiros do CNE 854 Leça do Balio… foi por eles que tudo aconteceu… muito, muitíssimo grato. Lembro com muita estima, saudade e carinho, o meu conterrâneo, D. Manuel Martins.

À família e aos amigos, à rede social de sempre, obrigado por me terem ensinado a liberdade e a responsabilidade, os deveres e os direitos, os valores da vida, para a vida.

Fui trabalhador estudante durante a frequência do 12º ano, obrigado ao meu primeiro empregador, a família Almeida.

Às Câmaras Municipais onde trabalhei e servi: Maia e Matosinhos. Obrigado.

À Faculdade de Teologia no Porto, a nossa escola de Teologia, à nossa Universidade Católica, muito, muitíssimo grato e parabéns pelo contexto do seu aniversário jubilar.

Às comunidades paroquiais que servi: Paranhos, S. Pedro de Azevedo, Santuário de Santa Rita e Sé, obrigado.

À nossa Irmandade da Santa Casa da Misericórdia do Porto, obrigado pelo trabalho que fazem, nomeadamente os que de forma anónima trabalham junto dos mais frágeis e pobres.

À Irmandade dos Clérigos…

Ao Cabido Portucalense o meu obrigado.

A todos os que trabalham no Paço Episcopal, e que nestes cerca de 18 anos me dedicaram tantas atenções e deferências, obrigado e perdoem-me qualquer falha.

Às autoridades civis, militares e académicas, às Misericórdias e IPSS´s, às Associações Culturais e recreativas, aos nossos Bombeiros, muito obrigado. Aos meios de comunicação existentes no território da diocese e a nível nacional, aos seus trabalhadores, obrigado.

Aos que já partiram para a Casa do Pai e que estou a ver o rosto… rezem por mim, aliás a todos peço que rezem por mim.

Alguém disse que o Coração não tem distâncias, IN MANUS TUAS, retomo o lema do senhor D. António Francisco dos Santos e procurarei dar continuidade ao seu legado da Bondade: Não devemos temer a Bondade. Só pela Bondade aprenderemos a fazer do poder um Serviço, da Autoridade uma Proximidade e do Ministério uma Paixão. A Paixão de anunciar a alegria do Evangelho. O Evangelho é tudo o que temos e somos.

IN MANUS TUAS.

Padre Américo Aguiar nomeado bispo auxiliar de Lisboa
A mensagem de D. Américo Aguiar após a nomeação
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.